Doria critica postura de Lira sobre impeachment: 'Não tem compromisso com a democracia'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images
Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images

O governador de São Paulo, João Doria, criticou a postura do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que um dia após os atos com ameaças golpistas de apoiadores de Jair Bolsonaro, não se manifestou sobre a possibilidade de abertura de um processo de impeachment contra o presidente. 

— Lamento que ele não tenha compromisso com a democracia, porque se tivesse estaria colocando em pauta o impeachment do presidente Jair Bolsonaro —disse Doria, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. — Depois dos arroubos autoritários do presidente Jair Bolsonaro, o mínimo que se podia esperar de um presidente da Câmara era submeter aos seus parlamentares, já que a decisão não é dele, mas da Câmara e do Senado, e dar andamento ao pedido de impeachment. 

Leia também

Eleito com o apoio de Bolsonaro, Lira assumiu um tom conciliatório depois dos discursos com pautas antidemocráticas proferidos pelo presidente em atos em Brasília e em São Paulo. 

— Conversarei com todos, e com todos os poderes. É hora de um basta a essa escalada em um infinito looping negativo. Bravatas em redes sociais, vídeos e um eterno palanque deixaram de ser um elemento virtual e passaram a impactar o dia a dia do Brasil de verdade – afirmou. 

Tucanos discutirão apoio a abertura de impeachment

Foto: Alexandre Schneider/Getty Images
Foto: Alexandre Schneider/Getty Images

A pressão pelo impeachment cresceu após as declarações de Bolsonaro contra a democracia e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal. Ontem, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, convocou uma reunião da Executiva nacional do partido para discutir o apoio a uma eventual abertura de impeachment do chefe do Executivo. 

Alguns governadores, como Doria, e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, que pretendem disputar as prévias do partido, se posicionaram a favor da saída de Bolsonaro do poder.

Nesta quarta, porém, Doria descartou que lidere alguma articulação de governadores neste sentido. 

— Articular não, mas compartilhar com outros governadores. Vários falaram como eu — afirmou. — Mas a decisão cabe a cada governador, na sua individualidade. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos