Doria diz que iria à CPI, mas alerta: "Vou falar a verdade e isso vai piorar muito a situação"

·3 minuto de leitura
Sao Paulo State Governor Joao Doria receives a dose of COVID-19 vaccine developed by Chinese pharmaceutical company Sinovac in Sao Paulo, Brazil, on May 7, 2021. (Photo by Rahel Patrasso/Xinhua via Getty Images) (Xinhua/Rahel Patrasso via Getty Images)
Governador João Doria elogiou a condução da CPI da Covid no Senado (Foto: Xinhua/Rahel Patrasso via Getty Images)
  • João Doria disse que iria à CPI da Covid caso fosse convocado

  • Tucano alertou que diria "a verdade", o que poderia prejudicar os governistas

  • Doria elogiou condução da CPI da Covid no Senado

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse quem caso seja convocado à depor na CPI da Covid, iria, mas alertou: "Vou falar a verdade e isso vai piorar muito a situação". 

Segundo Doria, o estado de São Paulo já está contribuindo com a Comissão Parlamentar de Inquérito, oferecendo informações diariamente e também disponibilizando a presença de Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan. Covas vai depor na quinta-feira (27). 

Questionado se iria à CPI, o governador disse que sim. "A prioridade, pelo que eu pude ler, é para governadores que tenham tido investigação da Polícia Federal. São Paulo não teve investigação da Polícia Federal, até porque não há o que investigar aqui, nenhuma irregularidade foi cometida aqui no estado de São Paulo", apontou. 

Leia também

"Quero deixar claro que, se for convocado, convidado, solicitado a estar na CPI, lá estarei. Mas, quero deixar bastante claro para governistas, bolsonaristas e outros 'istas' que vou falar a verdade e isso vai piorar muito a situação daqueles que, ao ouvirem a verdade, serão classificados ainda mais fortemente como negacionistas e que contribuíram com a morte de muitos brasileiros que poderiam estar vivos. Quem não deve, não teme. Me convoquem e eu lá estarei." 

Doria também elogiou o andamento da CPI da Covid, em especial do presidente, Omar Aziz (PSD-AM), do vice-presidente, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e do relator, Renan Calheiros (MDB-AL)

"Minha avaliação é que ela (A CPI) tem conduzido bem, ela tem sido firme e objetiva no questionamento daqueles que lá comparecer, e tem procurado manter um nível de isenção adequado, e focado na questão técnica e primordial, que é a identificação das falhas, que de fato ocorreram, e foram muitas, foram graves, na conduta da pandemia. Até aqui, só tenho cumprimentos àqueles que conduzem a CPI, seja o presidente, o relator, o vice-presidente. Eu, como cidadão, me sinto representado." 

Convocação de governador pela CPI 

Senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado aprovaram, nesta quarta-feira (26), a convocação de governadores e ex-governadores sobre supostas irregularidades na destinação de recursos federais para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

Os pedidos miram estados já investigados pela Polícia Federal.

Confira a lista:

O ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC) foi afastado do cargo por suspeitas de integrar organização criminosa que praticou irregularidades na área da saúde do estado.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), também foi convocado a depor na CPI da Covid. Os senadores receberam relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que apura irregularidades no uso da verba da União pelo Governo do Distrito Federal na pandemia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos