Doria diz que SP recebeu metade das doses da Pfizer e vacinação de adolescente corre risco

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* SAO PAULO/ SP, BRASIL,  12.04.2021 - João Doria.  (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO/ SP, BRASIL, 12.04.2021 - João Doria. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

GONÇALVES, MG (FOLHAPRESS) - O governador João Doria (PSDB) anunciou, na tarde desta quarta-feira (4), que o ministério da Saúde só encaminhou metade das doses previstas da vacina Pfizer ao estado de São Paulo.

Segundo Doria, o estado recebeu cerca de 228 mil doses. "Com menos vacina, o calendário de vacinação de crianças e adolescentes está comprometido", afirmou o governador.

De acordo com o calendário de vacinação, a faixa etária entre 12 e 18 anos tem a previsão de receber a primeira dose da Pfizer a partir de 18 de agosto -a Pfizer é a única fabricante autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para atender crianças e adolescentes.

"É uma afronta e representa a quebra do pacto federativo", disse Doria, em coletiva à imprensa realizada no Palácio Bandeirantes, na zona oeste da capital paulista.

Doria afirmou também que não haverá retaliação do governo paulista contra o ministério do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), uma vez que as cargas de doses de Coronavac, vacina envasada pelo Instituto Butantan, seguirão o cronograma de entrega previsto.

Na manhã desta quarta, o Instituto Butantan entregou ao Programa Nacional de Imunização 2 milhões de doses da vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac.

PFIZER PARA ADOLESCENTES

A Pfizer foi a primeira fabricante a anunciar resultados de seu estudo em adolescentes de 12 a 15 anos, no início de maio, com 100% de eficácia.

De acordo com os resultados do estudo combinado de fases 2/3 em adolescentes, iniciado em 12 de outubro de 2020, foram detectados 16 casos de Covid-19 entre os 2.260 adolescentes envolvidos, todos no grupo placebo.

Além dos dados de eficácia, a vacina também se mostrou segura. E a imunogenicidade da vacina, isto é, capacidade de induzir resposta imune no organismo, foi quase duas vezes maior na faixa etária de 12 a 15 anos em relação àqueles com 16 a 25 anos.

Após a conclusão do estudo nessa faixa etária, a agência regulatória norte-americana FDA autorizou, no início de maio, o uso da vacina em maiores de 12 anos. Nos Estados Unidos, a Pfizer já vinha sendo aplicada em toda a população maior de 16 anos. Reino Unido e União Europeia também deram aval para uso em menores de 16 no final de maio.

Em 9 de junho, o Uruguai começou a imunizar adolescentes de 12 a 17 anos, tornando-se o primeiro país latino-americano a atender esta faixa etária. O Chile também autorizou a vacinação de adolescentes entre 12 e 16 anos com a Pfizer.

A companhia iniciou no final de maio outro ensaio combinado de fase 1, 2 e 3 para testar seu imunizante em crianças entre 5 e 11 anos e em bebês a partir de seis meses. O objetivo é avaliar cerca de 4.600 crianças nos Estados Unidos e Europa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos