Doria diz que vai adotar passaporte de vacinação em SP em 15 de dezembro

·2 min de leitura
Governor of Sao Paulo State Joao Doria speaks during the center-right Brazilian Social Democracy Party (PSDB) meeting for the presidential primary in Brasilia, Brazil, November 27, 2021. REUTERS/Adriano Machado
Governo do estado de São Paulo prevê implementar passaporte da vacina a partir de 15 de dezembro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • João Doria prometeu implementar passaporte vacinal em SP, caso medida não seja tomada pelo governo federal

  • Segundo Doria, a medida passa a valer no estado de São Paulo em 15 de dezembro

  • Governo Bolsonaro afirmou que não implementará passaporte, sob argumento de restrição de liberdade

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), se comprometeu a implementar o passaporte vacinal no estado, caso a medida não seja tomada pelo governo federal. A medida passará a valer a partir de 15 de dezembro. 

"Caso não seja implantado pelo Governo Federal a obrigatoriedade do passaporte vacinal para entrada de viajantes no Brasil até 15 de dezembro, São Paulo adotará para todo Estado", anunciou. São Paulo é a principal porta de entrada no Brasil, já que é onde está o Aeroporto Internacional de Guarulhos. 

Durante coletiva de imprensa, o tucano anunciou que o governo estadual entrou com um pedido de implementação imediata do passaporte vacinal no país. "O governo de São Paulo encaminhou ofício ao Ministério da Saúde solicitando a comprovação imediata da comprovação de vacinação para os viajantes que chegam ao Brasil. A iniciativa é validada pelo comitê científico do estado de São Paulo", declarou. 

"Essa é a forma certa de agir, de prevenir e estabelecer procedimentos que a saúde recomenda, não que a ideologia e a vontade pessoas observa", afirmou Doria. 

Governo Bolsonaro descartou ideia 

Na última terça-feira (7), o governo federal descartou a possibilidade de exigir um passaporte de vacinação. A medida havia sido recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Em vez disso, o Ministério da Saúde assinalou que pretende implementar uma quarentena de 5 dias para pessoas não vacinadas. 

Elas devem passar por um exame RT-PCR e, com o resultado negativo, estarão livres para transitar pelo território brasileiro. No entanto, a pasta não explicou como será feita a triagem de quem estão imunizado, ou não, nem como será feito o monitoramento da quarentena. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos