Doria diz ser alvo de manifestações 'agressivas' em sua casa e se muda para sede do governo de SP

Gustavo Schmitt
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO. Após enfrentar uma série de protestos nas imediações de sua casa no Jardim Europa, bairro nobre da Zona Oeste São Paulo, o governador João Doria (PSDB) anunciou que vai se mudar para o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual.

Em comunicado, o tucano alega razões de segurança e ameaças. Doria diz que o negacionacismo na pandemia ultrapassou a fronteira do delírio nas redes sociais e se transformou em ameaças a sua integridade física e de sua família.

"O fanatismo ideológico, porém, ignora a racionalidade e a legalidade. Ele tem ultrapassado os limites do embate político e do questionamento técnico com ameaças à segurança da minha família e agressivas manifestações na porta da minha residência, perturbando o bairro e vizinhos. Diante do radicalismo,decidi me mudar para o Palácio dos Bandeirantes. Ao menos, temporariamente. Regredimos a tempos obscuros em que a integridade física daqueles que defendem a vida e a democracia está sob ameaça", escreveu o governador.

Nas últimas semanas, manifestantes trajados de verde e amarelo, em boa parte simpáticos ao presidente Jair Bolsonaro, tem se aglomerado sem máscaras nas imediações da casa do tucano.

No dia 7 deste mês, o governador chegou a registroar queixa-crime na polícia em razão divulgação de vídeo em que vizinha acusa seu filho de fazer uma festa. A denúncia contra o tucano, porém, era falsa. Quem estava no local da suposta festa era a atriz Mariana Rios. Ele esclareceu o caso em seguida e disse que havia três pessoas em sua residência cantando karaokê.