Doria e Bruno Araújo conversam depois de crise

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
**Arquivo**BRASÍLIA, DF, 31.05.2019 - João Doria e Bruno Araújo posam para foto (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
**Arquivo**BRASÍLIA, DF, 31.05.2019 - João Doria e Bruno Araújo posam para foto (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-governador de São Paulo João Doria conversou com o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, um dia após retirá-lo da coordenação de sua campanha. O gesto é comemorado por aliados de Doria, que já falam em "ânimos apaziguados".

Na semana passada, Araújo afirmou em encontro com empresários que a aliança com outros partidos "é maior" do que as prévias da legenda, vencidas por Doria. A declaração foi lida como uma tentativa de rifar o ex-governador.

O diálogo entre os dois, que ocorreu por telefone no último sábado (16), foi intermediado pelo deputado federal e um dos vice-presidentes do PSDB Carlos Sampaio (SP).

Os ex-governador e o presidente da sigla teriam concordado que o PSDB deve continuar se dedicando à tarefa de oferecer uma candidatura viável em parceria com MDB, União Brasil e Cidadania. E reconhecido as prévias da legenda que deram vitória a João Doria.

De acordo com um tucano, Doria e Araújo precisavam "acertar os ponteiros" porque há uma importante caminhada pela frente neste ano eleitoral.

Pré-candidato à Presidência pelo PSDB, Doria retirou Bruno Araújo do comando de sua pré-campanha depois das declarações dadas a empresários e reveladas pela coluna Mônica Bergamo.

Segundo nota divulgada pela equipe do ex-governador, Araújo "relativizou a candidatura de Doria" em declarações recentes e, "essa postura, considerada pouco agregadora, motivou a decisão".

Nas redes sociais, Araújo ironizou a decisão de Doria e afirmou que nunca fez questão de exercer esse cargo. "Ufa! Comando que nunca fiz questão de exercer", escreveu na sexta-feira (15).

Durante o jantar realizado pelo grupo Esfera Brasil, Araújo disse que o PSDB agora está em um consórcio maior para uma terceira via. Dessa forma, a candidatura presidencial dependeria do pacto com Cidadania, União Brasil e MDB.

"Não vejo apoio do PSDB para seguir com uma candidatura que não seja dentro [desse pacto]. A candidatura de Doria recebe toda energia, todo o apoio do PSDB, se ela tiver escolhida dentro desse conjunto político da aliança nacional com todos os partidos. Fora isso, acho que vai ter um grau de desgaste intenso dentro do partido", afirmou Araújo durante o encontro com cerca de 20 empresários, em São Paulo.

No último sábado, o contato entre Doria e Araújo teria sido dificultado pelo fato de o presidente da sigla estar entre pontes aéreas, a caminho dos Estados Unidos, mas acabou sendo bem-sucedido, segundo interlocutores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos