Doria: extremistas de direita que mentem sobre vacina são vergonha para o Brasil

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Brazil's Sao Paulo state governor, Joao Doria holds a box of the China's Sinovac coronavirus potential vaccine for trials during a news conference at Hospital das Clinicas, in Sao Paulo, Brazil July 21, 2020. REUTERS/Amanda Perobelli
Brazil's Sao Paulo state governor, Joao Doria holds a box of the China's Sinovac coronavirus potential vaccine for trials during a news conference at Hospital das Clinicas, in Sao Paulo, Brazil July 21, 2020. REUTERS/Amanda Perobelli

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), rebateu as acusações de que a vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantã possa causar até a morte de quem a tomar.

"Além de não contribuírem em nada, propagarem o negacionismo, propagarem aglomerações, não usarem máscaras, não fazerem o distanciamento social, estimularem o consumo de cloroquina, ainda agora estão acusando a vacina, que vai salvar milhões de brasileiros, de poder provocar danos à saúde daqueles que vierem a ser vacinados", afirmou Doria nesta quarta-feira (29).

Leia também

O diretor do Instituto Butantã também afirmou que as afirmações são "absolutamente inverídicas" e explicou que o imunizante não é testado em pessoas dos grupos de risco neste momento (a terceira fase) porque não faz sentido expor essas pessoas ao risco do vírus.

Ele acrescentou ainda que a tecnologia usada pela empresa chinesa Sinovac no desenvolvimento da vacina já se comprovou segura em outros casos.

"É uma vergonha para o Brasil termos um grupo de extremistas que propaga este tipo de informação através das redes sociais, assustando principalmente a população mais vulnerável", completou Doria.

Com informações da Folha de S.Paulo