Doria não obrigará vacinação de funcionários de Metrô e CPTM

·1 minuto de leitura
Sao Paulo Governor Joao Doria shows the ButanVac vaccine candidate against Covid-19, at the Butantan Institute, in Sao Paulo, Brazil, on March 26, 2021. - The Brazilian ButanVac vaccine will ask for authorization from the National Health Surveillance Agency (Anvisa) to start clinical trials of phases 1 and 2 in humans, involving 1,8 thousand volunteers. Research started on March 26, 2020 and the production goal is to start on May and to deliver 40 million doses starting on July, 2021. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) (Photo by MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Doria não obrigará vacinação de funcionários de Metrô e CPTM. Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images
  • O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não punirá funcionários do Metrô e da CPTM que não se vacinarem

  • São Paulo começará a vacinar metroviários e ferroviários em 11 de maio

  • Motoristas de ônibus e cobradores poderão se vacinar a partir de 18 de maio

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), decidiu não adotar nenhuma medida para obrigar os trabalhadores do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) a se imunizarem contra o coronavírus.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, caso alguém se recuse a tomar a vacina, pode continuar trabalhando normalmente, sem sofrer punições do governo paulista.

As empresas prestadoras de serviços do Metrô e da CPTM, como manutenção e limpeza dos trens, de acordo com a publicação, tinham dúvidas se precisariam afastar quem se recusasse. Este grupo foi anunciado no cronograma de maio,

Na última terça-feira (27), Doria divulgou as datas de vacinação no estado para ferroviários e metroviários para 11 de maio e de motoristas de ônibus e cobradores para 18 de maio.

São 10 mil ferroviários e metroviários, além de 165 mil motoristas de ônibus e cobradores para serem vacinados no estado.

Segundo Doria, a ideia é vacinar toda a população do estado até o fim de 2021. Além do Plano Nacional de Vacinação, para o qual o Instituto Butantan vai entregar 100 milhões de doses da Coronavac, o governo estadual prevê a compra de 30 milhões de doses. O contingente chegaria ao Brasil em setembro e ajudaria imunizar a totalidade da população paulista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos