Doria processa Kajuru após ser chamado de ‘escória’ e 'chumbrega'

Doria foi chamado pelo parlamentar de “escória”, “vazio”, “inculto” e “chumbrega”. (Roque de Sá/Agência Senado)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), apresentou na quinta-feira (18) uma queixa-crime contra o senador Jorge Kajuru (PSB) por injúria e difamação após ser chamado pelo parlamentar de “escória”, “vazio”, “inculto” e “chumbrega”.

As informações são do jornal Estado de São Paulo.

“Antes de concorrer a vereador de Goiânia, registrei no cartório que só ficaria dois anos na Câmara e dali sairia para o Senado. Avisei meus patrões eleitores. Não nasci para ser João Doria. Ele é escória da escória”, disse Kajuru em entrevista divulgada no dia 5 de abril, ao comentar a saída de Doria da prefeitura para assumir o governo.

Kajuru chegou a sugerir que Doria teria por entrevistas na época em que trabalhava na televisão. “Trabalhei com ele na RedeTV! Você acha que aqueles entrevistados dele eram gratuitos? Nada mais a falar. Doria é metido a intelectual, mas é vazio e inculto. É chumbrega que não é o mesmo que brega: no dicionário Michaelis, significa desprezível”, disse.

Depois das declarações acrescentou: “Mais um processo contra mim”.

Leia mais

Em trecho da peça assinada pelo advogado Fernando José da Costa, a defesa do governador argumenta ser “inegável que tais alegações atacam frontalmente a honra, bom nome e imagem que João Doria Júnior arduamente construiu ao longo de sua trajetória. Os crimes de difamação e injúria cometidos em face do Querelante encontram-se perfeitamente configurados, sendo a adequação típica inegável”.

A defesa de Doria afirma ainda que a conduta de Kajuru ‘extrapola e muito sua conferida imunidade parlamentar em razão de sua função de Senador’.