Doria reúne cúpula da segurança para monitorar ato na Paulista

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 17.01.2021 - O governador de São Paulo, João Doria. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 17.01.2021 - O governador de São Paulo, João Doria. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e a cúpula da segurança pública do estado estarão de prontidão a partir das 14h monitorando a manifestação marcada para a avenida Paulista de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Doria estará acompanhado, entre outros, do procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, e do ouvidor-geral das polícias do estado, Elizeu Lopes. O grupo vai se reunir na sede do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar).

Além do receio com possíveis atos de violência, há uma preocupação grande do governo paulista com a presença de PMs da ativa na manifestação. Pelo regulamento da corporação, essa participação é vedada.

Também espera-se uma grande presença de policiais da reserva no ato. Nesse caso, não há veto, desde que não utilizem uniformes e distintivos oficiais da entidade.

Na manhã desta terça (7), um grupo de cerca de cem veteranos da Rota, unidade de elite da PM, se reuniu em frente ao quartel da corporação, no centro de São Paulo, para irem juntos até o ato. Eles fazem parte do Grêmio Rota Boinas Negras.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos