Doria reage e sugere a Bolsonaro que 'comece a ser um líder'

Silvia Amorim
São Paulo (SP), 06/05/2020 - Coletiva de imprensa João Doria Covid19 - João Doria, (PSDB) Governador de São Paulo, anuncia medidas de combate ao Coronavírus, (COVID-19) nesta quarta feira, (6) no Palácio dos Bandeirantes. (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Agência O Globo) São Paulo

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, João Doria, reagiu nesta quinta-feira a mais uma crítica do presidente Jair Bolsonaro a governadores e prefeitos pela condução da crise da pandemia do novo coronavírus. Em tom de desafio, Doria sugeriu a Bolsonaro que assuma o papel de líder do país.

"Acorde para a realidade, presidente Bolsonaro. Saia da bolha de ódio e comece a ser um líder. Se for capaz", escreveu o governador.

Não é a primeira vez que o paulista acusa o presidente de fazer política com "ódio". Desta vez, Doria retrucou uma declaração dada por Bolsonaro nesta manhã. Para o presidente, o lockdown é o caminho do fracasso, que levaria à decadência da economia brasileira.

- O Brasil está se tornando um país de pobres. O que eu falava lá atrás, que era esculachado, estão vendo a realidade agora aí. Pra onde está indo o Brasil? Vai chegar um ponto que o caos vai se fazer presente aqui. Essa história de lockdown, "vamos fechar tudo", não é esse o caminho. Esse é o caminho do fracasso, quebrar o Brasil. Governador, prefeito, que porventura entrou nessa onda lá atrás, faça como eu já fiz algumas vezes na minha vida, se desculpa e faça a coisa certa - declarou Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

Alguns governadores decretaram o regime mais restrito de isolamento social nos últimos dias. Doria não descarta seguir o caminho dos colegas.

"Mais uma vez, o presidente Bolsonaro deixa de defender a saúde dos brasileiros para atacar quem está trabalhando para proteger vidas. Prefere comícios, andar de jet ski, treinar tiros e fazer churrasco. Enquanto milhares de brasileiros morrem por coronavírus", reagiu Doria nas redes sociais nesta quinta-feira.