Doria rejeita apoio a Lula em 2º turno contra Bolsonaro: “Populistas extremistas não gostam do diálogo”

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
The Governor of Sao Paulo Joao Doria, was in Rio de Janeiro, and launched the preview of his candidacy for the Presidency of the Republic in the 2022 presidential elections, in a rhythm of samba, and crowds of people amidst the corona virus pandemic, covid19 he seeks votes in Rio for PSDB caucuses, his political party, was received with a presentation by the Imperatriz Leopoldinense samba school.Covid-19: Brazil registers 28,000 new cases and 698 deaths in 24 hours, the total number of deaths in the pandemic reached 574,209.

The number of people who have contracted the disease since the start of the pandemic has risen to 20,556,487. Between yesterday and today, 28,388 new cases were registered. On August 21, 2021 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)
Governador de SP, João Doria, lançou sua candidatura à Presidência da República em 2022 (Photo by Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)
  • Governador de SP, João Doria (PSDB), rejeita apoio a Lula em 2º turno contra Jair Bolsonaro

  • “Populistas extremistas não gostam do diálogo”, alegou, em entrevista

  • Tucano venceu as prévias do PSDB no fim de semana para disputar a Presidência da República pelo partido em 2022

Vencedor das prévias do PSDB para ser o candidato do partido à Presidência da República em 2022, o governador de São Paulo, João Doria, rechaçou qualquer diálogo com o ex-presidente Lula (PT) contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em entrevista ao jornal Valor Econômico, nesta segunda-feira (29), o tucano refutou aproximação com o petista mesmo se for ao segundo turno contra Bolsonaro.

Questionado sobre as chances de pedir apoio a Lula se fosse ao segundo turno contra o atual chefe do Executivo, Doria respondeu: “O diálogo será sempre feito com quem merece o diálogo, com quem gosta, respeita e aprecia o diálogo. Populistas extremistas não gostam do diálogo. Gostam de impor suas posições, de determinar, de mandar, o que torna mais difícil o diálogo”.

Em relação ao ex-juiz Sergio Moro (Podemos), o governador paulista afirmou nutrir amizade com o ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, com quem já ensaia uma aproximação.

“Tenho respeito e amizade com o Sergio Moro. Entendo que ele deva fazer parte desse bom diálogo, nesse sentido democrático-liberal-social”, disse.

Para se defender de foto com Doria, Moro cita imagens de Lula com Geddel e Aécio
João Doria ensaia aproximação com Sergio Moro (Foto: Reprodução)

Na entrevista, o tucano também declarou não ter problemas de diálogo com Ciro Gomes (PDT) e abriu as portas para uma possível aliança.

“Não há razão para não ter um diálogo com Ciro”, acrescentou.

Doria, no entanto, tem poucas chances de ir ao segundo turno. Segundo pesquisa Ipespe divulgada na última sexta (26), o PSDB não passa de 2% nos dois cenários. O levantamento mostra Lula com 42% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 25%, e Sergio Moro e Ciro Gomes, tecnicamente empatados em terceiro lugar, co 11% e 9%, respectivamente.

O governador de São Paulo nega ainda que o PSDB tenha saído enfraquecido das prévias. Ele defende que, mesmo com todos os problemas e divergências, o partido saiu mais forte da disputa interna.

“O PSDB sai fortalecido. É o único partido que fez prévias no Brasil, portanto, houve uma mobilização nacional”.

“Agregação, soma, união: estas são as palavras de ordem a partir de agora”, destaca.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos