Dose única da Janssen mostra baixa efetividade contra variante delta, indica estudo inicial

·2 minuto de leitura
The exterior of Johnson and Johnson's subsidiary Janssen Vaccines in Leiden, Netherlands March 9, 2021. REUTERS/Piroschka van de Wouw
Vacina da Janssen é aplicada em dose única; tecnologia é similar a da vacina da AstraZeneca (Foto: REUTERS/Piroschka van de Wouw)
  • Estudo sugere que efetividade da vacina da Janssen, de dose única, seja baixa contra variantes delta e lambda

  • Pesquisa foi conduzida por cientistas do Departamento de Microbiologia da Universidade de Nova York

  • Estudo é preliminar e está em pré-print, mas resultados são semelhantes aos verificados após uma dose da AstraZeneca

Um novo estudo mostrou a vacina da Janssen, farmacêutica da Johnson & Johnson, tem baixa efetividade contra as variantes delta e lambda do coronavírus. A pesquisa ainda é inicial e foi publicada como pré-print no último dia 19.

Segundo os primeiros resultados, quem tomou o imunizante, supostamente de dose única, pode precisar de um reforço. A pesquisa foi feita usando amostras de sangue em laboratório, o que representa a efetividade, não a eficácia, que mostra os efeitos no mundo real.

Leia também:

As conclusões diferem dos resultados apresentados pela própria Johnson & Johnson no início de julho. Segundo a empresa, a vacina da Janssen, em dose única, é capaz de manter as pessoas protegidas do coronavírus e das variantes por até oito meses após a imunização.

O novo estudo, feito por pesquisadores do Departamento de Microbiologia da Escola de Medicina da Universidade de Nova York, ainda não foi revisado por pares ou publicado em uma revista científica.

No entanto, os resultados são similares ao que foi observado após uma única dose da vacina AstraZeneca. Os imunizantes da AstraZeneca e da Janssen tem o mesmo tipo de tecnologia. Os estudos mostram que a vacina desenvolvida na universidade de Oxford tem eficácia de 33% contra a variante delta após uma dose.

“A mensagem que nós queremos passar não é para que as pessoas deixem de tomar a vacina da Johnson & Johnson, mas esperamos que, no futuro, possa haver uma segunda dose da Johnson & Johnson, ou um reforço com Pfizer ou Moderna”, disse Nathaniel Landau, virologista e líder do estudo, ao jornal norte-americano New York Times.

A variante delta é a mais contagiosa encontrada até o momento. A vacina da AstraZeneca, assim como a da Pfizer, tem eficácia reduzida em relação a esta cepa do coronavírus.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos