Dotz avalia follow-on para ampliar liquidez das ações

·3 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Dotz avalia fazer uma oferta subsequente de ações para tentar aliviar a pressão sobre seus papéis, disse o presidente-executivo da administradora de programas de fidelidade e fintech, Roberto Chade.

A expectativa da Dotz é de que a operação possa ajudar a fazer com que as ações voltem a níveis mais próximos de métricas baseadas em aspectos fundamentalistas, já que a empresa segue crescendo e tem planos de evoluir também em termos de rentabilidade até 2023.

Desde que fez sua estreia na B3, no fim de maio passado, a ação da Dotz acumula queda de cerca de 80%. Na época, a oferta restrita foi ancorada por investidores qualificados aos quais a negociação deveria ficar restrita nos primeiros 18 meses

Esse tipo de transação, amparada na instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), exige do emissor um conjunto menor de informações financeiras.

No entanto, os papéis da companhia foram negociados por algumas corretoras, até essas transações terem sido depois bloqueadas pelo regulador para investidores não qualificados.

A partir daí, investidores de varejo só puderam vendê-los a investidores qualificados. Pressionadas pela combinação de derrocada das ações brasileiras, especialmente das ligadas ao comércio eletrônico, como é o caso da Dotz, com perda de liquidez, as ações da empresa acumulam queda de cerca de 80%.

Às 17h30 desta segunda-feira (horário de Brasília), a ação era negociada a 2,74 reais cada, alta de 11,8%. Em 31 de maio passado, quando estreou na B3, valia 13,20 reais.

Com uma nova oferta no âmbito da instrução 400, dirigida inclusive para investidores de varejo, a base de acionistas cresceria e daria maior liquidez aos papéis.

"Estamos estudando fazer isso", disse Chade à Reuters, explicando que ainda não há definição sobre se uma oferta sebsequente será mesmo feita, nem quando.

Se levada adiante, a medida seguiria o modelo anunciada na semana passada pelo BR Partners, que deve colocar seus novos papéis na bolsa sob as normas da instrução 400.

BREAK EVEN

Segundo Chade, os negócios baseados em planos de crescimento acelerado, como o da Dotz, devem ainda enfrentar volatilidade no Brasil neste ano devido ao ciclo de aperto monetário em curso pelo Banco Central para tentar conter a inflação.

No entanto, a companhia deve seguir ampliando investimentos neste ano, dando sequência ao que fizera no ano passado, quando seus investimentos cresceram cerca de 50% em relação a 2020 no consolidado até o terceiro trimetre, segundo ele.

Com o gradual aumento de receitas com as divisões de fintech e de marketplace sobre uma base de cerca de 10 milhões de clientes do produto de fidelização, a expectativa é que a Dotz possa se tornar lucrativa no próximo ano.

"No primeiro trimestre de 2023, as coisas devem começar a voltar ao normal", disse ele. "Podemos atingir o break even (lucratividade) no ano que vem", acrescentou.

A Dotz teve prejuízo líquido de 24 milhões de reais no terceiro trimestre de 2021, último balanço divulgado, resultado 21,4% melhor em relação ao mesmo período de 2020.

(Por Aluísio Alves)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos