Douglas Costa é campeão pelo Bayern e Mundial da Fifa segue sempre com brasileiro entre campeões; veja lista

O Globo
·2 minuto de leitura

A atual edição do Mundial de Clubes é um choque de realidade para o futebol brasileiro: se antes éramos nivelados junto aos europeus, talvez estejamos mais distantes deste pelotão. O Palmeiras tendo a pior campanha da história de um sul-americano reforça isso. Mas algo não mudou: o fato de um brasileiro ter sido campeão em todas as edições do torneio. Em 2020/21, coube a Douglas Costa.

O atacante entrou aos 28 minutos do segundo tempo no lugar de Kingsley Coman e participou da vitória do Bayern de Munique por 1 a 0 sobre o Tigres, nesta quinta-feira, em Doha, no Qatar. Na semifinal, ele havia ficado no banco durante o triunfo por 2 a 0 diante do Al-Ahly, do Egito. Caso Tigres fosse campeão, o dado seria mantido por Rafael Carioca.

Dentro de campo, Douglas Costa apareceu bem na decisão. O principal lance aconteceu nos minutos finais da partida, após Choupo-Moting fazer uma belada jogada pela direita e rolar para o brasileiro encher o pé, mas parar na boa defesa de Guzman. Mesmo não tendo sido decisivo diretamente para o título dos alemães, ele ajudou a estatística a se manter viva.

Confira a lista de campeões:

2020 - Bayern - Douglas Costa 2019 - Liverpool - Roberto Firmino 2018 - Real Madrid- Marcelo, Casemiro, Vini Jr.2017 - Real Madrid- Marcelo, Casemiro2016 - Real Madrid- Marcelo, Casimiro2015- Barcelona - Douglas, Daniel Alves, Neymar e Adriano 2014 - Real Madrid - Marcelo 2013 - Bayer Munique - Dante e Rafinha 2012 - Corinthians2011 - Barcelona - Daniel Alves, Adriano2010 - Internazionale - Julio Cesar, Lucio, Maicon 2009 - Barcelona - Daniel Alves, Maxwell2008 - Manchester United - Anderson, Rafael 2007- Milan - Dida, Kaká, Cafu, Emerson e Serginho 2006- Internacional 2005- São Paulo 2000- Corinthians

Sobre o jogo

Até entrar em campo, Douglas Costa viu uma final de Mundial de Clubes repetindo o cenário visto nos últimos Mundiais: enquanto os europeus entraram em marcha lenta, os centro-americanos (desta vez) foram ao ápice da intensidade e esgotamento físico para tentar igualar as ações. O Tigres até conseguiu segurar o ímpeto do Bayern por bons minutos apostando na aplicação tática e no sólido sistema defensivo, mas o planejamento desmoronou quando os alemães tiveram uma pitada de sorte para abrir o placar.

Aos 13 minutos do segundo tempo, após levantamento na área, Robert Lewandowski disputou jogada com o goleiro Nahuel Guzman. O problema é que, ao socar para frente, o goleiro do Tigres acertou o atacante polonês e viu a bola sobrar limpa para Pavard marcar. Em campo, o impedimento foi marcado, mas o VAR mostrou que todos os envolvidos no lance estavam em posição legal. Próximo do fim, Tolisso acertou a trave.

Antes, ainda na primeira etapa, o Bayern viu o gol de Joshua Kimmich ser anulado por impedimento — a arbitragem entendeu que Lewandowski, que participou do lance em posição de impedimento, atrapalhou a visão de Guzman. Vale lembrar que os alemães estavam sem León Goretzka, Jerôme Boateng, Thomas Muller e Javi Martínez, que são jogadores importantes para o técnico Hansi-Flick.