Doze suspeitos serão julgados em Paris por roubo de joias de Kim Kardashian

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Kim Kardashian foi assaltada sob a mira de uma arma no outono de 2016 em Paris, durante a Fashion Week (AFP/ALAIN JOCARD)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Doze pessoas serão julgadas na França por seu suposto envolvimento no roubo de joias e diamantes da estrela de reality shows americana Kim Kardashian em 2016, informaram à AFP nesta sexta-feira(19) fontes próximas ao caso.

No maior roubo contra um indivíduo na França em duas décadas, joias no valor de seis milhões de euros (cerca de 37,96 milhões de reais) foram roubadas de Kardashian, que estava hospedada em um hotel de luxo em 2016 durante a Fashion Week em Paris.

Entre os suspeitos presos quatro meses depois na capital e no sul do país, está Aomar Ait Khedache, conhecido como "Old Omar", considerado o líder do bando.

Os dois magistrados que julgam o caso determinaram que os 12 suspeitos fossem julgados por um júri - que na França só é realizado em crimes mais graves - por acusações como "assalto à mão armada", "sequestro" e "associação criminosa", segundo as fontes.

Na noite de 2-3 de outubro de 2016, vários homens, alguns disfarçados de policiais, entraram no hotel onde Kardashian, então com 36 anos, estava hospedada.

Dois dos agressores colocaram armas em sua têmpora e um deles, disse Kardashian à polícia, dirigiu-se a ela em inglês com "um forte sotaque francês" e lhe exigiu o anel que usava. Depois disso, eles a amarraram, a amordaçaram e a levaram ao banheiro.

Enquanto isso, três homens aguardavam na recepção e outro esperava do lado de fora do prédio, dentro de um carro.

Um dos supostos criminosos, Yunice Abbas, que fugiu do local de bicicleta, deixou cair uma cruz com um diamante incrustado que valia 30 mil euros, encontrado por um pedestre poucas horas depois.

Os ladrões perderam vários itens durante a fuga, mas a maior parte do roubo nunca foi encontrada e acredita-se que tenha sido vendida na Bélgica.

Dez membros do grupo, descritos pela polícia como da "velha guarda", são acusados por sua participação no roubo, enquanto outro suspeito é acusado de ter participado de outro crime com a mesma associação.

Outro dos suspeitos será julgado pela suposta violação da lei de porte de armas em um caso relacionado ao roubo de Kim Kardashian.

gd/jh/adp/dl/jvb/meb/jc/ic

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos