Dr. Jairinho está preso na mesma cela em que Fabrício Queiroz passou quarentena

Paolla Serra
·1 minuto de leitura

RIO — Após dar entrada no sistema prisional do Rio, através da Cadeia Pública José Frederico, em Benfica, o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade) passou por uma audiência de custódia na qual o juiz Antonio Luiz da Fonseca Lucchese manteve sua prisão temporária por 30 dias. No início da noite desta quinta-feira, dia 8, então o parlamentar foi transferido em uma van da Secretaria de estado de Administração Penitenciária (SEAP) para o Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó, em Bangu.

Na unidade, conhecida como Bangu, Jairinho ocupa a cela C3, que tem seis metros quadrados, onde irá permanecer por 14 dias, seguindo o protocolo de combate ao coronavírus. O espaço, que tem um beliche de alvenaria preso a parede, um vaso sanitário, uma pia e um chuveiro, passou por uma sanitização e chegou a receber, em junho do ano passado, Fabrício Queiroz, ex-assessor e ex-motorista de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Atualmente, o Presídio Pedrolino Werling de Oliveira, possui 70 presos, divididos em cinco galerias. Todos têm diploma de curso superior ou têm envolvimento em investigações da operação Lava Jato. Na galeria E, estão o ex-governador Sérgio Cabral, o ex-deputado Paulo Melo e o ex-secretário Wilson Carlos.

Assim como os demais detentos, Jairinho usa uma camisa branca e um short azul. Ele tem direito a quatro refeições por dia, feitas na cela, e a duas horas de banho de sol a tarde, no pátio da cadeia, junto aos presos que também deram entrada na unidade recentemente e seguem o protocolo da Covid-19.