Draghi inicia sua última rodada de consultas para formar um governo na Itália

·1 minuto de leitura
O economista Mario Draghi tem a missão de formar um novo governo na Itália

O ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, inicia nesta segunda-feira(8) uma rodada final de consultas para formar um governo na Itália, que entra em sua terceira semana de crise política.

Antes do fim da semana, Draghi precisa obter uma maioria no parlamento para ser empossado como primeiro-ministro.

Paralelamente, a repentina predisposição da Liga, o eurocético partido de Matteo Salvini(extrema-direita), a apoiar Draghi complica a construção de uma coalizão.

A Liga mantém relações tensas tanto com o Movimento 5 Estrelas (M5S, antissistema antes de chegar ao poder) e com o Partido Democrático (PD, centro-esquerda), os outros dois atores principais que devem apoiar o novo governo.

O governo cessante de Giuseppe Conte, que foi obrigado a jogar a toalha no final de janeiro, está encarregado da gestão diária.

Na semana passada, o presidente Sergio Mattarella, mediador da crise política, pediu a "Super Mario" a formação de um governo de unidade nacional capaz de enfrentar a crise econômica e de saúde causada pela pandemia, que tirou mais de 90.000 vidas e afundou o país em sua pior recessão desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Draghi se reúne nesta segunda-feira com os pequenos partidos e na terça-feira com o M5S, o PD e a Liga.

O M5S anunciou nesta segunda-feira em seu blog que faria uma consulta online na quarta e quinta-feira para que seus militantes pudessem dar sua opinião sobre "possível apoio a um governo liderado por Mario Draghi".

aa-ljm/glr/ial/pc/eg/mb/jc