Draghi pede "unidade" na Itália para enfrentar "momento difícil"

·1 minuto de leitura
O economista Mario Draghi tem a missão de formar um novo governo na Itália

O ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), o economista Mario Draghi, recebeu nesta quarta-feira a missão de formar um novo governo na Itália e pediu "unidade" para que o país consiga enfrentar um "momento difícil".

Draghi, que "se reservou o direito de aceitar", anunciou que iniciará consultas com todos os partidos para examinar se pode contar com uma maioria estável no Parlamento para substituir o governo liderado pelo atual primeiro-ministro Giuseppe Conte.

"Este é um momento difícil. O presidente (Sergio Mattarella) recordou a dramática crise de saúde, com os graves efeitos para a vida das pessoas, a economia e a sociedade", declarou à imprensa, depois de receber oficialmente o pedido para formar o governo.

"Confio na unidade dos partidos políticos e grupos parlamentares", completou.

Draghi foi convocado pelo presidente Mattarella após o fracasso das negociações pelas graves divergências entre os partidos da coalizão de governo liderada por Conte.

Na terça-feira, Mattarella, o único que pela Constituição designa o primeiro-ministro ou dissolve o Parlamento, fez um apelo às forças políticas para que apoiem "um governo de alto perfil" e "forte", para enfrentar a emergência de saúde e para implementar o colossal plano financiado pela União Europeia para a reconstrução da Itália.

"Pedirei com respeito ao Parlamento seu apoio", disse Draghi.

kv/bl/fp