Drama de torcedores do Flamengo na fronteira com o Uruguai tem filas quilométricas e relatos de 'pedágio' a agentes

·1 min de leitura

A fronteira com o Uruguai foi o grande adversário dos torcedores do Flamengo antes do Palmeiras. Para chegar ao palco da final da Libertadores, as caravanas de ônibus enfrentaram até 10 horas de fila.

Nela, a espera foi compensada com muito bom humor, churrasco, mas também houve relatos de "pedágio" para que alguns veículos fossem liberados mais rapidamente.

O grupo que saiu escoltado do Rio em dez ônibus chegou 9h30 desta sexta-feira na fronteira e saiu apenas às 19h, com previsão de chegar em Montevidéu às 1h.

Segundo torcedores presentes na imigração, agentes uruguaios faturaram presenteados com ítens do Flamengo, como boné e camisas. E alguns receberam 100 dólares de cada ônibus após revista e checagem de documentação.

A reportagem tentou contato com autoridades responsáveis pela operação no Uruguai, mas não teve retorno até o fechamento deste texto.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal do Brasil, a escola do grupo que saiu do Rio não teve incidentes. A operação foi encerrada com a chegada na fronteira no começo da noite.

Só que outros ônibus sem escolta fizeram filas quilométricas. E alguns vão passar a madrugada nela. Com risco de não chegarem para a partida.

Por volta de 21h, torcedores presentes na fronteira relataram que a fila só aumenta. Apesar de ter começado a andar mais na parte da noite.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos