Drogas estão a alastrar na Europa

O Centro Europeu para a Monitorização do Uso de Droga e Toxicodependência (EMCDDA) vê com preocupação o facto de o consumo de cocaína estar a alastrar no velho continente e considera que a Europa se está converter num centro de produção da droga.

O principal receio é que a apreensão crescente de drogas seja sinónimo de que há ainda mais substâncias ilícitas em circulação.

"Quando se conhecem os volumes que estão a ser apreendidos aquilo que nos vem à cabeça é: o que é que está a entrar? Se há tanta coisa a ser apreendida está a entrar muito mais. E quais são os prejuízos que isto gera além dos danos para a saúde dos consumidores de cocaína, dos danos para a sociedade em termos de violência e em termos de corrupção?", questionou Laurent Laniel, do Centro Europeu para a Monitorização do Uso de Droga e Toxicodependência, em entrevista à Euronews.

O comércio de drogas pesadas na Europa não alimenta só a criminalidade. Também cria problemas de saúde de longo prazo para os consumidores e tem um impacto nos serviços de saúde. E o problema não é só a cocaína, lembrou Laurent Laniel: "há a heroína, o MDMA, que agora também se encontra em comprimidos de concentração muito maior do que no passado, o que pode ser perigoso. A consequência provável é que haverá mais danos, não só em termos de saúde, para os consumidores."