Duas pessoas estão em estado grave após serem esfaqueadas na noite de réveillon em Copacabana

·6 min de leitura

RIO — Segundo a prefeitura do Rio quatro pessoas que estavam em Copacabana na noite deste réveillon foram esfaqueadas e duas estão em estado grave. Uma delas foi transferiada para o Hospital Souza Aguiar, no Centro, e a outra para o Hospital Miguel Couto, na Gávea.

Segundo a secretaria municipal de Saúde, os dois pacientes graves chegaram aos postos de atendimento por volta da meia noite.

Das quatro pessoas esfaqueadas, até o momento só há informações do que ocorreu com duas delas. Uma das vítimas foi um rapaz esfaqueado após tentar defender a mãe que havia sido roubada. Ele foi atingido depois que tentou reagir. Com corte leves, ele recusou atendimento.

Outra vítima foi uma colombiana que foi esfaqueada após criminosos a roubarem. A mulher foi alvo de bandidos que faziam um arrastão na praia.

O secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale, relatou que um dos feridos se envolveu em uma briga e acabou sendo golpeado. O secretário afirmou que “dentro do cenário encontrado, o saldo foi positivo” é o réveillon de 2020 foi como “um domingo de sol no Arpoador”

— Eu não tenho detalhes das ocorrências das facadas. Mas uma das vítimas foi atingida em uma briga perto da hora da virada. Entre ontem e hoje fizemos mais de 20 conduções à delegacia. Prendemos um suspeito que usava uma faca para assaltar um casal. Infelizmente, ocorreram esses episódios. Lamentamos as pessoas esfaqueadas. Mesmo com a nossa limitação, o saldo foi positivo — disse Brenno, que completou:

— Fizemos muitas abordagens, muitos adolescentes sozinhos vieram roubar. Mas, dentro do cenário, eu diria que vivemos como se fosse um domingo de sol no arpoador. Acredito que coibimos muitos crimes.

arpoador. Acredito que coibimos muitos crimes.

Exatamente no segundo em que os fogos começaram a colorir o céu de Copacabana, o EXTRA flagrou dezenas de ladrões espalhados pela areia furtando quem se distraía fazendo fotos da celebração: pelo menos cinco pessoas tiveram os celulares roubados na altura do Copacabana Palace. A PM conseguiu prender apenas dois dos bandidos. Houve gritaria e correria.

— Eles aproveitaram que todo mundo estava distraído e saíram metendo a mao no celular de todo mundo.Vinham de todos os cantos, tudo orquestrado. Eram mais 20. Quase todo mundo conseguiu fugir, infelizmente. Vi que conseguiram pegar um e bateram muito nele, até que a polícia chegou — disse Miguel Dias, que acompanhou toda a ação.

A PM ainda não comentou os crimes. A Polícia Militar também prendeu um homem na areia de Copacabana, na altura do Posto 4, armado com uma pistola.

Os três postos médicos da Secretaria Municipal em Copacabana relizaram, até as 2h deste sábado, 99 atendimentos. Segundo a pasta, a maioria dos casos era devido a pequenos traumas ou intoxicação etílica. A prefeitura informou que oito pacientes com quadros mais graves foram transferidos para hospitais da rede, entre eles os dois homens jovens com ferimentos por arma branca. O estado de ambos era estável.

Até as 20h30 da noite do réveillon, a Guarda Municipal já havia prendido e aprendido ao menos 10 suspeitos acusados de furtos e roubos na orla de Copacabana. Segundo a prefeitura, a grande maioria dos envolvidos nos crimes são menores de idade. Todos os presos e apreendidos foram levados para a 12ª DP (Copacabana).

O comandante da Guarda Municipal, o inspetor-geral José Ricardo Soares da Silva pediu que quem for a Copacaba tome cuidado e evite expor celulares e carteiras.

— Pedimos que a população tome cuidado com os pertences. Que não venham com nada exposto, porque existem furtos e roubos — disse o inspetor.

Até agora os agentes já coibiram tentativas de furto, apreenderam mercadorias e determinou que um quiosque que fica perto da Rua República do Peru retirasse um cercadinho na areia.

— Um quiosque tentou ocupar a faixa areia e fizemos com que eles retirassem as grades, já que não é permitido cercadinhos — disse Silva.

Enquanto caminhava pela orla com três amigos, o estudante Renan Prado, de 21 anos, relatou ter sido furtado por uma gangue de adolescentes que passava na altura do Copacabana Palace.

— A gente passou por um grupo de mais de dez adolescentes, que nos cercaram e empurraram. Foi tudo muito rápido. Botei a mão no bolso e vi que minha carteira não estava mais lá. Além dos documentos e de R$ 180, perdi o clima para o Ano Novo — lamentou o morador de Botafogo.

Por pouco, um de seus colegas também não perdeu os pertences. Foi o caso de João Gabriel Fernandes:

— Alguém puxou meu cordão, mas eu consegui segurar e não levaram, só que ele arrebentou.

Moradora de Petrópolis, a funcionária pública Márcia Roberta Pereira, de 37 anos, veio com o filho Miguel Pereira Campos Filipe, de 7 anos, para ver os fogos em Copacabana. A mulher se disse assustada.

— Estou assustada com a quantidade de roubos. Acabei de presenciar um roubo na minha frente. Muitos deles menores, do tamanho do meu filho de sete anos. Mesmo com essa quantidade de polícia, esses crimes todos. É assustador e impressionante a cara de pau das pessoas que estão assaltando — disse.

Por volta de 23h, o secretário municipal de Ordem Pública Breno Carnevalle, acompanhado de uma equipe de guardas municipais, monitorava o ponto da orla em frente a Rua Fernando Mendes. Ele avalia que a proposta da prefeitura, de fazer as pessoas assistirem a queima de fogos perto de suas casas, deu certo, evitando aglomerações em Copacabana.

— A organização vem das fiscalizações dos fretados e dos bloqueios feitos nas entradas do bairro. Preventivamente, notificamos alguns quiosques que estavam fazendo cercadinhos e, com a advertência, eles se ajustaram. Também apreendemos grades que estavam sendo montadas para eventos clandestinos, além de mercadorias irregulares. Acabamos de conduzir para a delegacia quatro pessoas com cordões e materiais que são, possivelmente, oriundos de furtos — disse o secretário.

A 12ª DP (Copacabana) informou que até às 21h30 três registros de ocorrência envolvendo roubos e furtos foram registros na unidade. A distrital disse ainda que alguns menores foram levados para o local, verificados e não havia nada contra eles. Alguns casos de roubos, envolvendo turistas, foram levados para a Delegacia de Atendimento ao Turista (Deat). Durante a noite, a 13º DP (Ipanema) também atuará como Central de Flagrante.

A prefeitura do Rio também desmobilizou nesta sexta-feira dois eventos irregulares que estavam sendo preparados nas areias da praia do Arpoador e em Copacabana. Na primeira os agentes da secretaria de Ordem Pública (Seop) encontraram uma área com madeiras estocadas na areia, caixas de som e 2.578 bebidas, descartáveis e alimentos.

Já em Copacabana, guardas municipais impediram um evento na altura do Posto 5. No local, os agentes flagraram uma grande estrutura com mesas, cadeiras, caixas de som e equipamentos para um show. O equipamento também foi apreendido

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos