Duas pessoas são mortas a tiros durante protestos contra golpe no Sudão, dizem médicos

·1 min de leitura
Manifestante com bandeira do Sudão durante protesto contra perspectiva de governo militar em Cartum

Por Khalid Abdelaziz

CARTUM (Reuters) - Forças militares mataram duas pessoas a tiros durante protestos nacionais no Sudão neste sábado, afirmou um comitê de médicos. Centenas de milhares de pessoas exigiram a restauração de um governo liderado por civis após um golpe militar.

O Comitê Central de Médicos Sudaneses afirmou que dois manifestantes foram mortos a tiros pelas tropas na cidade gêmea da capital Cartum, Omdurmã, durante protestos.

Uma testemunha em Omdurmã disse que ouviu barulho de tiros e viu pessoas sangrando sendo carregadas na direção do prédio do Parlamento.

Um representante do Exército do Sudão não estava disponível em um primeiro momento para comentar o relato sobre as mortes.

Manifestantes carregaram bandeiras do Sudão e cantaram "governo militar não pode ser elogiado" e "este país é nosso e nosso governo é civil", enquanto marchavam em bairros ao redor de Cartum.

Milhares de sudaneses já haviam se manifestado esta semana contra a deposição do ministério do primeiro-ministro Abdallah Hamdok na segunda-feira pelo general Abdel Fattah al-Burhan, em um golpe que levou nações ocidentais a congelarem centenas de milhões de dólares em assistência financeira.

(Reportagem de Khalid Abdelaziz em Cartum e Nafisa Eltahir no Cairo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos