Duas semanas antes do Enem, coordenadores de órgão responsável pela prova pedem demissão

·1 min de leitura
Ministro da Educação Milton Ribeiro. Foto: Reprodução
Ministro da Educação Milton Ribeiro. Foto: Reprodução
  • Dois coordenadores do Inep, instituto responsável pelo Enem, pediram demissão do órgão

  • O Exame Nacional do Ensino Médio será realizado nos dias 21 e 28 deste mês

  • O Inep ainda não se manifestou oficialmente sobre o assunto

Dois coordenadores do Inep, instituto vinculado ao Ministério da Educação e que é responsável pelo Enem, pediram demissão do órgão. O Exame Nacional do Ensino Médio será realizado nos dias 21 e 28 deste mês. A informação foi divulgada pela CNN.

Eduardo Carvalho, coordenador de Exames para Certificação, e Hélio Junio Rocha Morais, coordenador da Logística da Aplicação, deram entrada em seus pedidos de desligamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O Inep ainda não se manifestou oficialmente sobre o assunto e nem sobre o motivo pelo qual ambos teriam justificado suas decisões.

Os dois coordenadores que pediram para deixar o órgão também eram responsáveis, além do Enem, por outras provas importantes como o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) e o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

O Ministério da Educação tem sido motivo de polêmicas recorrentemente, muitas delas provocadas por declarações do ministro Milton Ribeiro.

Após ter defendido a universidade "para poucos", em agosto, o integrante do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) questionou a busca por um diploma.

"Que adianta você ter um diploma na parede, o menino faz inclusive o financiamento do FIES que é um instrumento útil, mas depois ele sai, termina o curso, mas fica endividado e não consegue pagar porque não tem emprego", declarou o ministro.

Milton Ribeiro também chegou a afirmar que o ensino superior não deveria ser para todos. "Universidade deveria, na verdade, ser para poucos, nesse sentido de ser útil à sociedade", declarou o ministro.

"Tenho muito engenheiro ou advogado dirigindo Uber porque não consegue colocação devida. Se fosse um técnico de informática, conseguiria emprego, porque tem uma demanda muito grande", complementou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos