Duda Beat, Kondzilla e jovens: a agenda na semana final de campanha de Lula

Former Brazilian President and presidential candidate Luiz Inacio Lula da Silva attends a rally in Curitiba, Brazil, September 17, 2022. REUTERS/Rodolfo Buhrer
Former Brazilian President and presidential candidate Luiz Inacio Lula da Silva attends a rally in Curitiba, Brazil, September 17, 2022. REUTERS/Rodolfo Buhrer

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já tem sua agenda de organizada para a reta final da campanha eleitoral. O petista quer focar no eleitorado jovem, entre 16 e 34 anos, além de promover encontro com artistas e intelectuais. Na lista cultural, ele deve encontrar com o fundador da Kondzilla. As informações são da CNN Brasil.

Na segunda-feira (26), o foco serão os apoiadores famosos e depoimentos para os programas de rádio e TV. Lula deve mostrar falas do cantor Caetano Veloso e da cantora Duda Beat. Um encontro com intelectuais está previsto para o mesmo dia no Anhembi (SP). No dia seguinte, ele tem encontro com Konrad Dantas, fundador da produtora musical Kondzilla.

Para reforçar o eleitorado mais jovem, o candidato deve promover encontros com grupos de atletas jovens, além de coletivos e movimentos sociais. Segundo a pesquisa Genial/Quaest mostrou uma oscilação negativa de Lula em eleitores de 16 a 34 anos - de 45% para 42%.

Pesquisa Quaest, contratada pela Genial Investimentos e divulgada nesta quarta-feira (21), aponta o ex-presidente Lula em primeiro lugar, com 44% das intenções de voto. Em seguida está o presidente Jair Bolsonaro (PL), com 34%, o que significa que o petista tem 10 pontos de vantagem sobre o chefe do Executivo.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Já em terceiro lugar, há empate entre Ciro Gomes (PDT), com 6%, e Simone Tebet (MDB), com 5%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Soraya Thronicke (União Brasil) continua com 1% das intenções de voto, empatando tecnicamente com Tebet.

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)