Duda Brack, a Iolanda de 'Além da ilusão', lança clipe que fala de um relacionamento tóxico: 'Peguei pedaços de relações tóxicas que vivi'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Ao refletir sobre sua trajetória artística, a gaúcha Duda Brack, de 28 anos, percebe que “aprendeu fazendo”. Sem medo da falta de experiência, subiu em palcos para cantar, escreveu e dirigiu clipes. Atualmente, apesar de nunca ter estudado teatro, interpreta a vedete Iolanda Flores, na novela das seis “Além da ilusão”. “Na minha carreira musical, sempre busquei o lugar da performance, criando cenas por meio da música. Isso me deu uma bagagem. Na novela, vou por um caminho mais intuitivo, já que não tenho conhecimento prático ou técnico da vida em estúdio. Mas acredito que uma qualidade muito importante para esses momentos é estar presente”, afirma.

Nascida em Porto Alegre, Duda veio para o Rio aos 17 anos estudar música na UNIRIO. Em 2015, lançou seu primeiro disco, “É”, e ano passado seu segundo, “Caco de vidro”. Entre um e outro, foi selecionada para integrar o tributo aos Secos & Molhados “Primavera nos dentes”. Nesse período, em 2017, conheceu Ney Matogrosso, que virou um amigo e parceiro musical: ele participou do novo disco e também do clipe da cantora. “Adoro o som dos anos 1970. Sempre escutei as músicas dele, assim como Caetano, Gal, Jards Macalé. Ney é um muso que virou amigo, um homem livre. Trocamos sobre música, vida, espiritualidade, tudo. Percebo como somos caretas quando escuto suas histórias”, conta.

Ney conta que o primeiro encantamento foi pela voz e personalidade de Duda no palco. “Fiquei impressionado quando assisti ‘Primavera nos dentes’. Quis me aproximar dela. Ela cantou de um jeito tão autoral que gostei muito. E logo depois ficamos amigos, fizemos shows e clipes juntos. Volta e meia ela vem aqui, trocamos ideias, ela se impressiona como era a vida, a liberdade, dos anos 1970. Já vivi períodos mais permissivos, fiz coisas que hoje não são mais possíveis”, comenta Ney.

Liberdade é um tema caro às canções e à vida pessoal de Duda. Nos clipes da trilogia “Uma saga de Duda Brack”, que começou com “Pedalada”, seguiu com “Toma essa” e, mês que vem, ganha seu último capítulo, “Man”. A trama central passa por um relacionamento abusivo, em que ela contracena com o ator Gabriel Leone. “Peguei pedaços de relações tóxicas que eu tive e também de histórias de amigas. Fiz uma caricatura baseada em fatos reais. Que mulher nunca teve uma dessas para contar? Mais do que o abuso, quero mostrar a volta por cima”, destaca ela.

Ansiosa para voltar a fazer shows no segundo semestre, Duda também estará aberta para trabalhos em filmes, séries e novelas. “Vou emanar meus desejos para o mundo e ver o que volta”, conta ela, uma mulher confiante, corajosa e sempre aberta às novas experiências.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos