'Dunas da Gal': trecho da Praia de Ipanema é reconhecido como patrimônio cultural

Um pedaço da Praia de Ipanema, que há tempos faz parte da história da cidade do Rio, teve seu reconhecimento ao ser declarada Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial. As "Dunas da Gal", trecho em frente à Rua Teixeira de Melo, ganhou esse apelido na década de 1970, um ponto de encontro cultural, entre eles, a cantora Gal Costa, que morreu no último dia 9, aos 77 anos, em São Paulo.

Covid-19: Vacinação infantil tem baixa procura no Rio, Secretaria estende imunização até sábado

Estação Negritude: Supervia e Governo do Estado fazem ação na Central do Brasil em celebração ao Dia da Consciência Negra

O reconhecimento deste trecho foi publicado na edição desta sexta-feira do Diário Oficial do município. No texto, o prefeito Eduardo Paes destaca a cantora baiana, nascida em Salvador, como "ícone do tropicalismo e da Música Popular Brasileira". O local ganhou notoriedade na década de 70 pela reunião de artistas, intelectuais, surfistas, entre outros grupos. A formação das dunas nas areias da praia ocorreu em 1972 durante as obras de construção do emissário submarino de Ipanema. Gal Costa era presença constante no local, que também era conhecido como Dunas do Barato.

O texto do decreto ainda destaca a "a importância de prestar homenagem à artista após seu falecimento, reconhecendo o valor de seu legado para a música e cultura popular carioca". No último sábado, o colunista Ancelmo Gois adiantou que o "point" será batizado como "Dunas da Gal", mas ainda não foi oficializado.

Wired Festival Brasil: mesas mostram como os criativos da periferia usam a inovação para diminuir desigualdades e criar novas e poderosas narrativas

Ainda em Ipanema, a expectativa é de que o calçadão ganhe uma estátua de Gal. Eduardo Paes reagiu aos pedidos dos fãs da cantora que iniciaram uma campanha nas redes sociais clamando por uma "justa homenagem". O prefeito prometeu a peça da artista na orla da praia da Zona Sul do Rio.