Dupla brasileira é presa por procedimento ilegal na Espanha; paciente entrou em coma

Dois brasileiros (um homem e uma mulher) foram presos na Espanha após uma jovem de 27 anos entrar em coma ao passar por um procedimento estético ilegal. Nenhum deles tem formação em medicina. Ambos foram acusados ​​de crimes contra a saúde pública, imigração ilegal e fraude. As prisões foram anunciadas nesta quarta-feira. Segundo a Polícia Nacional espanhola, outras duas pessoas envolvidas com o caso também foram detidas. De acordo com a imprensa local, também foram apreendidos diversos produtos químicos e utensílios destinados aos procedimentos ilegais.

Em postagem no Twitter, a Polícia Nacional espanhola disse que os quatro suspeitos foram presos "por realizar tratamentos estéticos ilegais sem qualquer tipo de controle sanitário".

O caso ocorreu num apartamento no centro de Madri entre 0h e 3h de 25 de novembro, mas só foi denunciado às autoridades espanholas no último dia 8, quando foi dado início à investigação.

No caso da paciente que entrou em coma, a intervenção consistia em introduzir no organismo um produto para queima de gordura com injeções. A vítima, identificada como uma cidadã alemã de origem marroquina, pagou 3,5 mil euros aos suspeitos. Ela foi ao local do procedimento acompanhada por um amigo búlgaro. Agora ela encontra-se internada num hospital em estado gravíssimo.

Um dos suspeitos chegou a entrar em contato com o amigo da vítima para cobrar 6 mil euros para despesas hospitalares e 300 euros para a transferência de ambulância.

As outras duas pessoas presas foram identificadas como um espanhol de 55 anos com varias passagens policiais e uma mulher de 30 anos de origem chinesa.