Dupla que matou família em SC agiu após suicídio do irmão; entenda

Quatro pessoas, sendo três da mesma família, morreram

Dupla matou família (foto) em cidade catarinense - Foto: Reprodução/Redes Sociais
Dupla matou família (foto) em cidade catarinense - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Os dois criminosos que promoveram a chacina de uma família na cidade e Campo Erê, em Santa Catarina, agiram após a perda do irmão. A dupla matou quatro pessoas na noite do último sábado (21) a tiros.

Segundo informações do portal ND+, os dois assassinos, de 32 e 38 anos, eram irmãos. Eles teriam sido motivados pelo suicídio de um terceiro irmão durante a tarde.

Não está claro, porém, qual a ligação da perda do parente com o sentimento que fez a dupla matar três pessoas da mesma família - um pai, uma mãe e uma filha - e uma quarta vítima.

A polícia explicou que não divulgará maiores detalhes sobre o caso para não atrapalhar na investigação. Os dois irmãos assassinos acabaram presos, enquanto o terceiro foi enterrado no domingo (22).

Entenda o caso

Mãe pai e filha foram assassinados a tiros na noite de sábado, em ataque que deixou outras cinco pessoas feridas. As vítimas fatais foram identificadas como:

  • Carlos Delfino, 63 anos;

  • A esposa, Emidia dos Santos, 53;

  • A filha, Marinalva dos Santos, 18;

  • Ana Claudia Schultz, 35.

Outros feridos

Além das quatro vítimas fatais, cinco pessoas foram atingidas por disparos e ficaram feridas. São elas:

  • Uma jovem de 20 anos;

  • Uma mulher de 55 anos;

  • Um jovem de 26 anos;

  • Um homem de 41 anos;

  • Um homem de 51 anos.

As identidades destas pessoas não foram reveladas.

Polícia prende suspeitos

Os dois irmãos responsáveis pela chacina foram presos pela polícia local. Um deles tem 38 anos e foi detido logo depois do crime.

O outro, de 32 anos, teria sido o responsável pelos disparos. Ele chegou a fugir, mas foi encontrado no último domingo (22) e prestaria depoimento nesta segunda (23).

Jovem lamenta o ocorrido

Filha de Carlos e Emidia e irmã de Marinalva, Júlia dos Santos foi responsável pela identificação dos corpos. Mais tarde, se manifestou nas redes sociais lamentando a perda violenta dos parentes na chacina.

Em postagem homenageando a irmã, ela escreveu: "Não consigo acreditar que você se foi. Espero que, do outro lado, você entenda a passagem que fez e de alguma forma consiga me ajudar a entender porque você se foi, porque não resistiu. Que esteja bem, sem dor".