Durante a quarentena, lojas de tecido e armarinhos estão autorizados a reabrirem no Rio

Lojas de tecidos e armarinhos podem reabrir; materiais são usados para fabricação de máscara

Um dia após o prefeito Marcelo Crivella confirmar a prorrogação das medidas de isolamento social na cidade do Rio, mais um tipo de comércio é autorizado a funcionar. A partir de hoje, lojas de comércio de tecido e de aviamentos, os armarinhos, podem abrir no município. A permissão seria para facilitar a compra de itens para a fabricação de máscaras de pano, uma das medidas de proteção contra o novo coronavírus. O equipamento é de uso obrigatório em espaços públicos e estabelecimentos da cidade desde a última quinta-feira, dia 23.

O funcionamento destes estabelecimentos está restrito ao período das 10h às 17h. No interior dos estabelecimentos, valem as mesmas regras aplicadas nos comércios abertos de outros setores. Os funcionários devem usar máscaras e manter a distância mínima de dois metros entre eles.

Nesta terça-feira, as feiras livres voltaram a ter permissão para serem realizadas nas ruas do município após um decreto revogando a publicação da semana passada que suspendia a atividade temporariamente. Os feirantes retomam, a partir de hoje, o calendário das feiras que segue dias, horários e locais pré-determinados junto à prefeitura. Porém, houve endurecimento nas medidas para evitar a propagação da Covid-19. Os comerciantes devem usar jaleco, luvas e máscaras e ter à disposição, para eles e para os clientes, álcool em gel 70%. As barracas devem estar afastadas umas das outras.

As tradicionais barracas de caldo de cana e pastel estão com cuidado redobrado. Para evitar aglomeração, só são preparados pedidos para viagem, não sendo permitido o consumo no local. O acesso ao balcão deve ser impedido com plástico filme ao redor do local e fixado um cartaz informando sobre as novas regras de funcionamento para o combate ao novo coronavírus.