Duvivier diz que Tabet vota em Lula e que não sobrou 'nenhum cirista' no Porta dos Fundos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O humorista e colunista do jornal Folha de S.Paulo Gregorio Duvivier diz que "tudo o que Lula [PT] tem de agregador, Ciro Gomes [PDT] tem de desagregador" e que é lamentável ver o que o candidato está fazendo com o partido que tem Leonel Brizola como líder histórico. "Ele está fazendo igual o [ex-governador João] Doria fez com o PSDB: implodindo o PDT. É uma pena, porque o PDT é um partido sério", diz o humorista.

A imagem de Duvivier vem sendo usada em uma peça publicitária da campanha de Ciro Gomes que iguala "bolsoplanistas" a "lulaplanistas".

A propaganda diz que ambos "idolatram corruptos e têm o péssimo hábito de chamar de fascista todos aqueles que não baixam a cabeça para o líder da seita".

O vídeo foi alvo de críticas de ex-apoiadores do pedetista como o cantor Tico Santa Cruz, que pediu para Ciro "retomar a consciência".

"Acho uma loucura que no final da campanha ele escolha um humorista como alvo. Não sou candidato a nada, faltam seis dias para a eleição, ele está com 6% dos votos, já perdeu, e parece que ele quer perder mais", diz Gregorio.

"[Essa peça publicitária] É uma piscada de olho para o fascismo que existe no Brasil. É muito triste", diz.

Segundo o humorista, todos os seus amigos do Porta dos Fundos, inclusive Fábio Porchat e Antonio Tabet, vão votar em Lula já no primeiro turno. "O Tabet nunca votou no PT no primeiro turno, e vai votar. Não sobrou nenhum cirista. E tudo por culpa dele [do Ciro]. Ele mesmo destruiu a sua campanha", diz.

Gregorio Duvivier participou nesta segunda (26), em São Paulo, de evento da campanha de Lula que reúne artistas, intelectuais e políticos.

"Não é um já ganhou, mas é uma celebração dessa campanha que foi muito bonita, unificou muita gente, uma verdadeira frente ampla", afirma. "Se o governo do Lula for tão bonito quanto esse evento, vai ser o melhor governo que o Brasil já teve", opina.

A apresentadora Titi Müller também esteve presente e fez questão de levar o filho, Benjamin, de 2 anos. "É um momento histórico do nosso país, da nossa democracia, e eu não poderia ficar de fora", diz ela à coluna.

Titi teve de ir embora mais cedo, porque o menino começou a chorar. "É muito emocionante [estar aqui]. Parece que vem um filme na cabeça, de 2018 até aqui, de tudo o que a gente precisou passar", afirma ela.

"No fim das contas, é por eles [pelas crianças] também que a gente está aqui. Hoje ele está com fome e com sono, mas eu tenho certeza de que um dia ele vai entender que esse chororô todo valeu a pena", acrescenta ela. Muitas outras crianças estiveram presentes.

De vestido, paletó e sandália na cor vermelha, a cantora Duda Beat também marcou presença no evento e disse acreditar em uma vitória de Lula já no primeiro turno. Ela faz parte do movimento Vira-Voto que pede o voto útil em Lula para derrotar o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) já na primeira etapa do pleito.

"Quanto mais gente falar, quanto mais vozes potentes falarem sobre isso, mais a gente consegue conscientizar outras pessoas", diz. O evento reuniu muitos outros artistas como o humorista Paulo Vieira, as cantoras Daniela Mercury, Pablo Vittar, e o cantor Silva ao lado do novo namorado, o médico Thales Bretas.