“É a minha Bíblia", diz CEO da V4 Company sobre obra de Jim Collins

Nos últimos 10 anos, Dener Lippert, CEO e fundador da V4 Company, trabalha incansavelmente para transformar seu negócio na maior empresa de serviço profissional do país. Por isso, tem pouco tempo para manter um hobby. “Na verdade, não acredito muito em hobby. Acho que tudo o que a gente faz tem um propósito de vida, o conjunto de uma obra”, explica.

Porém, quando não está focado nos negócios, o empreendedor gosta de passar o tempo vendo filmes e aprendendo sobre cinema. “Se eu vendesse a V4 hoje, talvez eu fosse pra Los Angeles produzir filmes”, revela.

CEO da V4 Company indicou livros do autor Jim Collins. Foto: Getty Images
CEO da V4 Company indicou livros do autor Jim Collins. Foto: Getty Images

Apesar de ser natural do Rio Grande do Sul, Dener Lippert conta que seu prato predileto é lasanha. “Churrasco é mais como arroz e feijão para nós, né”, brinca. Já quando o assunto é bebida preferida, o gaúcho mostra que segue a tradição da terra onde nasceu. “Vinho. Coisa de serra gaúcha”.

O livro preferido do CEO da V4 Company é toda a série do escritor americano Jim Collins, especialista na área de gestão de empresas. Na coleção lançada pelo autor estão livros como ‘Empresas Feitas para Vencer’ e ‘Como as Gigantes Caem’. “É a minha Bíblia. Se a V4 der errado, eu vou bater na porta desse autor e falar que fiz tudo o que ele disse e deu errado”, finaliza Lippert.

Expansão da V4

Hoje, a empresa de marketing digital tem 210 escritórios em todo o país, com três mil pessoas atendendo a 4,5 mil clientes ao mesmo tempo. Tudo gerenciado pela matriz, que conta com 250 profissionais que fazem a intermediação da relação entre as redes de escritórios e profissionais com a grande capilaridade de clientes na outra ponta.

Bem-sucedido e com apenas 28 anos, Dener Lippert não quer parar por aí. “Tem gente que vive o lifestyle business e gente que vive o hardcore business. A maior parte dos empreendedores empreendem por acaso, eu vivo o hardcore business”, conta o executivo. Para o executivo, é fácil se acomodar quando se é bem-sucedido em um empreendimento. “Ficar no lifestyle business é uma certeza de morte porque o mercado está sempre balançando. Para mim, crescer não é uma opção por ganhar mais, é para preservar valor”, finaliza.