"É bem possível que seja construção irregular", diz subprefeita sobre prédio que desabou no Rio de Janeiro

·4 minuto de leitura
Firefighters and rescue teams look for victims of an early morning building collapse at the Rio das Pedras favela in Rio de Janeiro on June 3, 2021. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP) (Photo by MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Segundo informações do jornal O Globo, o prefeito Eduardo Paes (DEM) e o governador Cláudio Castro (PSC) estão no local (Foto: MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
  • A subprefeita de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, Talita Galhardo, afirmou que é bem possível que o prédio que desabou no RJ seja uma construção irregular

  • Moradores de imóveis vizinhos, ouvidos pelo G1, disseram que começaram a ouvir estalos por volta de 2h, e o imóvel ruiu por volta de 3h20

  • O Corpo de Bombeiros confirmou a morte de uma criança, cujo a mãe foi resgatada e o pai permanece soterrado

A subprefeita de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, Talita Galhardo, afirmou que é bem possível que o prédio residencial que desabou nesta quinta-feira (3) na comunidade de Rio das Pedras (RJ), deixando ao menos uma criança morta, seja uma construção irregular. 

"Eu tenho feito muitas vistorias de ocupações irregulares, prédios condenados pela Defesa Civil. Realmente o entorno ali tem muita ocupação irregular. É uma coisa muito difícil você tirar morador, mas infelizmente as construções aqui não tem legalidade e acaba acontecendo este tipo de acidente", disse Talita à TV Globo.

Leia também

Ao jornal O Globo, a Secretaria Municipal de Habitação confirmou que o imóvel que desabou era irregular. O prefeito Eduardo Paes (DEM) e o governador Cláudio Castro (PSC) estão no local. Ambos subiram em uma laje, próxima ao local do desabamento, para ver os estragos e acompanhar o trabalho dos bombeiros.

O prédio que desabou fica na Rua das Uvas, esquina com Avenida Areinhas. Ruas no entorno do foram interditadas para os trabalhos de resgate. 

"Deu um estalo e o prédio desabou", diz vizinho

Moradores de imóveis vizinhos, ouvidos pelo G1, disseram que começaram a ouvir estalos por volta de 2h, e o imóvel ruiu por volta de 3h20. Também relataram que, após o desabamento, houve um incêndio no local. O fogo foi controlado pelos bombeiros.

Em entrevista à TV Globo, um homem, que mora em Rio das Pedras há 21 anos, descreveu que ouviu um "estalo" e, em seguida, o prédio desabou. Segundo ele, após o "estalo", a lateral de outros edifícios chegou a tremer.

"Deu um estalo e o prédio desabou. Aí tremeu a lateral dos outros edifícios e todos fugiram. As pessoas conseguiram sair, graças a Deus, com vida. Bombeiro derrubou o primeiro andar para tentar resgatar três pessoas que ainda estariam lá".

A woman reacts after a building collapse at the Rio das Pedras favela in Rio de Janeiro, Brazil on June 3, 2021. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP) (Photo by MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
O coronel Leandro Monteiro, secretário de Defesa Civil e comandante geral do Corpo de Bombeiros, disse que, neste momento, só é possível afirmar que há debaixo dos escombros um homem. Existe no entanto a possibilidade de haver mais pessoas (Foto: MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)

Criança morre, mãe é resgata e pai desaparecido

O Corpo de Bombeiros confirmou a morte de uma criança. De acordo com a corporação, a idade seria "por volta de 2 anos". O corpo já foi removido da comunidade pela Defesa Civil.

No total, quatro pessoas foram socorridas pelos bombeiros, que ainda tentam resgatar ao menos outras duas vítimas presas aos escombros. Segundo os bombeiros, a mãe da criança morta, Kiara Abreu, é uma das quatro socorridas e o pai, Nathan Gomes de Souza, é um dos que está sendo procurado.

O coronel Leandro Monteiro, secretário de Defesa Civil e comandante geral do Corpo de Bombeiros, disse que, neste momento, só é possível afirmar que há debaixo dos escombros um homem. Existe no entanto a possibilidade de haver mais pessoas.

"Estamos utilizando cães, removendo com muito cuidado porque corre risco de um novo desabamento, então tem prédios ao lado, são vidas que estão ali, então estamos trabalhando com muita cautela e calma para localizar a vítima".

Segundo o jornal O Globo, Kiara foi levada de helicóptero para o Hospital Miguel Couto, no Leblon. O estado de saúde dela ainda não foi informado. Para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra, foram levadas três outras vítimas.

Os três feridos levados para o hospital chegaram à unidade conversando, segundo socorristas. Eles sofreram escoriações e queimaduras em razão do fogo que atingiu o imóvel.

Polícia abre inquérito para apurar desabamento no Rio de Janeiro

A 32ª DP (Taquara) instaurou inquérito para apurar as circunstâncias do desabamento. Equipes da delegacia já estão no local para identificar testemunhas e vítimas e esclarecer como ocorreu o fato.

A perícia feita pelos profissionais do Instituto de Criminalística Carlos Éboli no local do desabamento será realizada assim que os bombeiros terminarem o trabalho de resgate.

No local, há ainda muitos focos de fumaça. São cerca de 200 homens do Corpo de Bombeiros, de cinco quarteis, que estão trabalhando no local desde a madrugada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos