E-books e sebos virtuais são opções para ler mais em 2021, sem gastar muito

Stephanie Tondo
·2 minuto de leitura
Foto: Pexels

A pandemia fez com que as atividades de lazer se concentrassem mais dentro de casa, e uma das melhores opções de entretenimento durante o isolamento social é a leitura. Para quem deseja ampliar esse hábito em 2021, mas não quer ou não pode gastar muito dinheiro, apostar em e-books e até mesmo em sebos virtuais pode ser uma opção.

— Livros virtuais são bem mais acessíveis, a diferença é muitas vezes de 90% em relação a um livro físico novo. Tem livros de R$ 10 a R$ 30 que em plataformas digitais chegam a ser gratuitos. Para aqueles que gostam de ler mais como lazer, livros de romance, dramas, biografias, é possível encontrar com facilidade muitas opções virtuais — afirma Marco Quintarelli, consultor de Varejo.

Levantamento realizado pela Nielsen e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e divulgado em dezembro, o painel de varejo de livros no Brasil aponta que o preço médio das obras de ficção em 2020 foi de R$ 36,03. Na categoria não-ficção trade, que inclui biografias, autoajuda e livros de religião, o preço médio no ano passado foi de R$ 37,46. Já as obras infantis e juvenis custaram em média R$ 39,71.

Para quem lê muito, comprar sempre livros novos pode pesar no orçamento. Por isso, é importante encontrar formas de economizar. É o caso de Thaissa Wenky, integrante do time de "caçadores de ofertas" do "Qual oferta", plataforma dos jornais EXTRA, O Globo e Expresso que reúne, no impresso e no digital, as melhores promoções de supermercados, drogarias e lojas de departamento de Rio e Grande Rio.

— Ultimamente tenho lido muitos e-books, que são bem mais baratos e vale a pena pela também pelo fato de você pode carregar para todo lugar e não ocupa espaço em casa. Na pandemia alguns sites liberaram os livros de forma gratuita — conta Thaissa, que costuma ler no smartphone, no tablet ou até mesmo no computador.

Já a caçadora de ofertas Silvana Martins costuma pegar livros emprestados, além de buscar descontos na internet.

— Os e-books são uma ótima opção, mas nada substitui o "cheirinho" e o manuseio dos livros. Procuro sempre alguma promoção e cupons de desconto. E também costumo fazer doações dos meus livros e da minha filha, quando já foram lidos e relidos — diz.

Para quem não abre mão do livro físico, os sebos sempre foram bons locais para comprar livros usados a preços bem mais baixos. Com a pandemia, a alternativa mais segura é optar pelos sebos online, como a Estante Virtual, e lojas virtuais de produtos usados, como o site Enjoei.

Outra possibilidade é o serviço de assinatura de livros, isto é, o consumidor contrata um plano mensal, que dá direito ao envio de livros periodicamente à casa do cliente. A Tag Livros, por exemplo, possui dois planos, de R$ 55,90 e R$ 46,90 mensais. Os kits incluem um livro em edição exclusiva, brindes e marcadores de páginas.