'É como se deixassem o Louvre ou o Museu Britânico em situação de miséria', diz procurador da República

Tania Rego/Agencia Brasil

O Ministério Público Federal requisitou nesta segunda-feira (3) a abertura de inquérito na Polícia Federal para investigar as causas e apurar responsabilidade no incêndio no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, no Rio. 

LEIA MAIS:

Pelo menos o acervo de invertebrados foi salvo, diz diretora do museu

Bicentenário, saiba o que Museu Nacional guardava

“O dano é irreparável”, diz diretor do Museu Nacional

O responsável pelo requerimento foi o procurador da República Sérgio Suiama, do grupo especializado do MPF em meio ambiente e patrimônio histórico.

“Este episódio revela o descaso com que o patrimônio histórico e cultural é tratado pelas autoridades, pelo poder público e pelas pessoas em geral. É como se deixassem o Louvre ou o Museu Britânico em situação de miséria”, afirmou Suiama ao jornal O Globo

O Rio de Janeiro tem cinco procuradores da República responsáveis pelo meio ambiente e patrimônio histórico. O procedimento relativo ao museu da Quinta estava em andamento desde 2016.D

DUZENTOS ANOS DE HISTÓRIA

O Museu Nacional, mais antigo do país, comemorou 200 anos em junho. Ele é subordinado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e vem passando por dificuldades geradas pelo corte no orçamento para a sua manutenção.

Desde 2014, a instituição não vinha recebendo a verba de R$ 520 mil anuais que bancam manutenção. O museu tinha em seu acervo mais de 20 milhões de itens, entre eles o mais antigo fóssil humano já encontrado no país, batizado de “Luzia”.