É fake news que interventor do DF confirmou infiltrados em atos terroristas

Declaração de Ricardo Cappelli em coletiva foi distorcida

Nas redes, usuários espalham que o interventor na segurança pública do DF, Ricardo Cappelli, teria confirmado a presença de infiltrados nos ataques terroristas em Brasília, mas informação é enganosa (Foto: AFP via Getty Images / Carl de Souza)
Nas redes, usuários espalham que o interventor na segurança pública do DF, Ricardo Cappelli, teria confirmado a presença de infiltrados nos ataques terroristas em Brasília, mas informação é enganosa (Foto: AFP via Getty Images / Carl de Souza)

Nas redes sociais, usuários seguem espalhando boatos sobre a suposta presença de infiltrados nos atos de terrorismo praticados em Brasília no último dia 8 de janeiro de 2023. Confira o que tem circulado nos últimos dias:

  • O interventor federal na segurança pública do DF (Distrito Federal) Ricardo Cappelli teria supostamente confirmado a presença de "infiltrados" nos ataques de 8 de janeiro

  • Os boatos se baseiam em um vídeo em que ele fala sobre a participação de "profissionais" nos atos terroristas

  • Bolsonaristas têm utilizado o termo "infiltrados" para atribuir, sem provas, os atos de destruição a esquerdistas

Mas essa informação é enganosa. Cappelli têm falado sobre a possível presença de "profissionais" e sobre financiamento dos atos, mas não confirmou a tese e infiltrados de esquerda ou de pessoas que tenham sido pagas para sabotar os atos antidemocráticos.

Captura de tela de publicação que espalha que o interventor do DF Ricardo Cappelli teria afirmado infiltrados participaram dos ataques em Brasília (Foto: Reprodução / Facebook)
Captura de tela de publicação que espalha que o interventor do DF Ricardo Cappelli teria afirmado infiltrados participaram dos ataques em Brasília (Foto: Reprodução / Facebook)

Presença de "infiltrados"

O vídeo que circula nas redes é um trecho do programa Prós e Contras da Jovem Pan de 16 de janeiro de 2023. Ao tratar sobre a coletiva concedida por Cappelli, a jornalista afirma que ele teria admitido haver "infiltrados" em meio aos manifestantes.

O termo tem sido utilizado, no entanto, por bolsonaristas nas redes sociais para alegar, sem evidências, que havia esquerdistas e sabotadores em meio aos apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) que teriam sido os responsáveis pela destruição. Em nenhum momento, contudo, o interventor confirmou essa tese.

Confira o trecho completo de sua declaração:

"Com relação à presença de profissionais, esse foi um depoimento que eu ouvi de um sargento e de um outro oficial que estava no campo, o sargento inclusive ferido com vários pontos na cabeça, e ele declarou, ele falou: 'secretário, nós não estávamos enfrentando apenas manifestantes'. Ele falou: 'existiam homens no campo de batalha com conhecimento do terreno, com conhecimento de táticas de combate, com características profissionais, eram homens profissionais que estavam no meio dos manifestantes'. Esse é um depoimento para nós muito valioso e que a gente tá apurando esse depoimento, tá? Faz parte da investigação, vai auxiliar na identificação das pessoas que cometeram os crimes inaceitáveis que nós, que o Brasil inteiro viu no dia 8".

Um dia antes, em 15 de janeiro, em seu perfil no Twitter, Cappelli fez uma afirmação semelhante sobre a suposta presença de profissionais:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Nenhuma declaração do interventor sobre a participação de infiltrados, no mesmo sentido utilizado por bolsonaristas, foi identificada.

Não caia em fake news, confira as checagens do Yahoo! Notícias sobre supostos infiltrados nos ataques de 8 de janeiro em Brasília:

Conteúdo semelhante foi verificado pelo Aos Fatos.