É falso afirmar que eleições no Brasil não podem ser auditadas

É falso afirmar que urnas eletrônicas na possibilitam eleições auditáveis (Agência Brasil)
É falso afirmar que urnas eletrônicas na possibilitam eleições auditáveis (Agência Brasil)
  • Usuários criticam as urnas eletrônicas e afirmam não ser possível auditar eleições

  • Alegações são falsas e já foram desmentidas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

  • Aparelhos imprimem boletim, que pode ser conferido por eleitores e comparado com relatório disponibilizado online

Publicações afirmando que as urnas eletrônicas não são auditáveis circulam nas redes sociais desde que o ministro do STF e presidente do TSE, Edson Fachin, afirmou na última terça-feira (17) que as Eleições Gerais de 2022 deverão contar com mais de 100 observadores internacionais. Mas as urnas utilizadas no Brasil permitem a auditoria da votação, leia o que a reportagem do Yahoo! Notícias verificou:

Captura de tela de uma publicação no Twitter (Reprodução)
Captura de tela de uma publicação no Twitter (Reprodução)

O ministro Edson Fachin declarou que mais de 100 observadores internacionais deverão estar presentes nas eleições de outubro. A afirmação foi feita na abertura do evento Democracia e Eleições na América Latina e os Desafios das Autoridades Eleitorais, no TSE, em Brasília.

Desde então, o ministro e o processo eleitoral brasileiro têm sido criticados nas redes, com questionamentos sobre a transparência das eleições.

Transparência na votação

A auditoria do somatório dos votos pode ser feita por meio do boletim de urna, impresso após o término da votação. No documento, consta um detalhamento sobre os votos feitos em cada equipamento.

Uma das vias do relatório deve então ser colocada na porta da seção eleitoral, de modo que os eleitores tenham acesso e possam compará-lo, posteriormente, com o boletim que é apurado eletronicamente e divulgado no dia seguinte à votação no site do TSE.

A Missão de Observação Eleitoral da Organização dos Estados Americanos (MOE-OEA), que esteve presente nas Eleições Municipais de 2018, reconheceu que o boletim de urna e outros procedimentos dão "confiança e transparência ao processo" e recomendou que fossem mais amplamente divulgados para a população.

Além disso, a OEA encarou de maneira positiva as tecnologias adotadas no país, afirmando que "promovem a transparência, fomentam a participação e facilitam o acesso às informações oficiais da eleição".

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)