É falso que Bolsonaro ganhou 'selo de honestidade' por seu governo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Bolsonaro não recebeu “selo de honestidade” no G20

  • Alegação falsa é compartilhada em canais de apoiadores do presidente

  • A reportagem do Yahoo! monitorou boatos que circulam nas redes sociais durante a visita do mandatário brasileiro à reunião na Itália

Circula pelas redes sociais uma mensagem afirmando que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria recebido um suposto selo de honestidade durante a reunião da cúpula do G20 em Roma, na Itália. A alegação é falsa.

Em um dos textos também é compartilhado o vídeo de um canal de apoio ao mandatário brasileiro. O título do registro, de pouco mais de sete minutos, dá a entender que Bolsonaro teria recebido tal “reconhecimento” durante a viagem, mas não é verdade.

Desinformação sobre reunião do G20 é compartilhada por apoiadores do presidente (Foto: Twitter/Reprodução)
Desinformação sobre reunião do G20 é compartilhada por apoiadores do presidente (Foto: Twitter/Reprodução)

Em nenhum momento o texto traz dados que confirmem a afirmação. O registro traz um compilado de filmagens de pessoas apoiando Bolsonaro. Em um trecho da filmagem, o homem que aparece ao lado do presidente brasieiro diz que a gestão de Bolsonaro teria recebido um selo de qualidade, mas não explica a origem e o contexto da afirmação.

A reportagem do Yahoo! Notícias já identificou peças de desinformação produzidas durante a viagem de Bolsonaro à reunião do G20. Circulou nas redes sociais um texto descontextualizado de uma conversa informal entre o presidente brasileiro e o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom. Na ocasião, Bolsonaro afirmou que o órgão não recomenda a vacinação contra a Covid-19 para crianças. Contudo, a afirmação foi tirada de contexto.

Até o momento, a OMS não aprovou o uso do imunizante contra a Covid-19 em menores de 12 anos. Mas a organização ressalta a autonomia dos governos para a decisão: “até o momento, a OMS ainda não aprovou nenhuma vacina para crianças menores de 12 anos, no entanto, os países são autônomos na definição e decisão de sua estratégia de vacinação com base nas recomendações de sua agência sanitária reguladora”.

Em meio a viagem à Itália, Bolsonaro recebeu o título de cidadão honorário de Anguillara Veneta. A honraria foi concedida ao presidente porque seus antepassados nasceram na cidade. O título não tem nenhuma relação com o seu mandato como presidente do Brasil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos