É falso que deputada do PT revelou fraude nas urnas eletrônicas em 2018

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
É falso que a deputada Erika Kokay (PT-DF) revelou fraude nas urnas em 2018. (Foto: Getty Images)
É falso que a deputada Erika Kokay (PT-DF) revelou fraude nas urnas em 2018. (Foto: Getty Images)
  • A deputada disse em um tuíte que eleições naquele ano foram fraudadas

  • Ela atribuiu a suposta fraude à prisão do ex-presidente Lula

  • Kokay, no entanto, disse que as urnas são invioláveis

Usuários alegam nas redes sociais que a deputada federal Erika Kokay (PT-DF) disse que houve fraude nas urnas eletrônicas em 2018.

Em sua conta no Twitter, Kokay, de fato, sugeriu que houve fraude na última eleição presidencial, mas não atribuiu isso às urnas eletrônicas. Ela sugeriu que a fraude se deveu à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Captura de tela de publicação no Twitter que falsamente afirma que a deputada Erika Kokay (PT-DF) revelou fraude nas urnas em 2018. (Foto: Reprodução)
Captura de tela de publicação no Twitter que falsamente afirma que a deputada Erika Kokay (PT-DF) revelou fraude nas urnas em 2018. (Foto: Reprodução)

No último domingo (29), a deputada Erika Kokay fez uma publicação em sua conta oficial no Twitter afirmando que houve fraude nas eleições gerais de 2018 e que a esquerda não mais aceitaria interferências no processo eleitoral.

"Bolsonaro não seria presidente se as eleições de 2018 não tivessem sido fraudadas.Nós não aceitaremos mais nenhum tipo de golpe contra a democracia neste país!", publicou a deputada. O presidente Jair Bolsonaro (PL) – que frequentemente faz ataques públicos ao sistema eletrônico de votação – chegou a responder à deputada com uma interrogação.

Na segunda-feira (30), em um novo tuíte, Kokay justificou que a suposta fraude seria consequência da prisão do ex-presidente Lula, que disputaria o pleito naquela ocasião: "A fraude das eleições de 2018 está na prisão política de Lula para beneficiar a direita e a extrema direita!".

Minutos depois, ela acrescentou que "as urnas eletrônicas são inquestionáveis" e reforçou a explicação de que a suposta fraude ocorreu por conta da prisão do ex-mandatário:

A reportagem do Yahoo! Notícias já verificou outros conteúdos desinformativos sobre as urnas eletrônicas, como o de que os equipamentos não podem ser auditados e de um método supostamente usado para fraudar urnas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos