É falso que indígenas desnutridos em Roraima fugiram da Venezuela

Nas redes, atribuem a situação emergencial dos Yanomami a Nicolás Maduro

Nas redes, boatos espalham que indígenas Yanomami encontrados em estado grave de desnutrição são da Venezuela. Na imagem, indígenas aguardam atendimento médico, em 1º de julho de 2022 (Foto: Getty Images / Andressa Anholete)
Nas redes, boatos espalham que indígenas Yanomami encontrados em estado grave de desnutrição são da Venezuela. Na imagem, indígenas aguardam atendimento médico, em 1º de julho de 2022 (Foto: Getty Images / Andressa Anholete)

Publicações espalham nas redes sociais boatos sobre os indígenas da etnia Yanomami encontrados em estado grave de desnutrição no estado de Roraima, próximo à fronteira com a Venezuela. Entenda o que usuários têm alegado nas redes sociais:

  • Os indígenas Yanomami atingidos por uma crise humanitária no estado de Roraima são supostamente refugiados venezuelanos

  • As informações divulgadas pelo governo seriam uma invenção da esquerda

  • O verdadeiro responsável pela situação seria o presidente da Venezuela Nicolás Maduro

Mas essas informações são falsas. Os indígenas encontrados pelo Ministério da Saúde em estado grave são brasileiros. Alertas para as violações de direitos humanos contra esse povo já vinham sendo feitos desde anos anteriores.

Captura de tela de uma publicação que espalha nas redes que situação de desnutrição grave de Yanomamis em Roraima seria responsabilidade da Venezuela (Foto: Reprodução / Facebook)
Captura de tela de uma publicação que espalha nas redes que situação de desnutrição grave de Yanomamis em Roraima seria responsabilidade da Venezuela (Foto: Reprodução / Facebook)

Brasil ou Venezuela?

Os Yanomami são uma etnia de indígenas que vivem em uma região da floresta amazônica localizada na fronteira entre Venezuela e Brasil, sobretudo no estado de Roraima.

No entanto, os indígenas em estado grave de saúde foram identificados por equipes do Ministério da Saúde em território nacional. As equipes realizaram trabalhos em Boa Vista (RR) e nas regiões de Surucucu e Xitei, todas localizadas no Brasil.

Na segunda-feira passada (16), integrantes da pasta identificaram crianças e idosos da etnia com quadros de desnutrição grave, malária e infecção respiratória aguda.

O site que espalhou o boato sobre a proveniência dos indígenas não apresentou qualquer evidência ou prova de que eles sejam venezuelanos.

Ao Yahoo! Notícias, o Ministério da Saúde confirmou em nota que a informação que circula nas redes sociais é um boato. "É falsa a informação de que os indígenas encontrados em estado grave de saúde no território Yanomami não são brasileiros".

Denúncias antigas

Em 2022, representantes dos Yanomami já haviam denunciado para o CNS (Conselho Nacional de Saúde) violações de direitos humanos que vinham ocorrendo em território brasileiro, como o avanço do garimpo ilegal, a contaminação por mercúrio e as ameaças de garimpeiros.

O relatório "Yanomami Sob Ataque: Garimpo ilegal na Terra Indígena Yanomami e propostas para combatê-lo", divulgado em 2022 com base em dados do ano anterior, denunciou os impactos do garimpo nas comunidades indígenas localizadas no território brasileiro. O documento foi produzido pela Hutukara Associação Yanomami, voltada para a defesa do grupo indígena.

Conteúdo semelhante foi verificado pela Agência Lupa e pelo Aos Fatos.