É falso que Lula pediu que Bolívia cortasse o envio de gás ao Brasil

É falso que Lula pediu que Bolívia reduzisse o envio de gás para o Brasil para prejudicar Bolsonaro. (Foto: REUTERS/Fredy Zarco/Bolivian Presidency/Handout)
É falso que Lula pediu que Bolívia reduzisse o envio de gás para o Brasil para prejudicar Bolsonaro. (Foto: REUTERS/Fredy Zarco/Bolivian Presidency/Handout)
  • Bolívia reduziu em 30% o fornecimento de gás ao Brasil

  • Usuários afirmam nas redes sociais o ex-presidente Lula solicitou o corte para prejudicar o presidente Bolsonaro

  • No entanto, a Bolívia justificou a decisão com base no preço pago pelo recurso

Um vídeo com mais de 27 mil interações circula nas redes sociais com uma inscrição alegando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu para a Bolívia cortar em 30% o envio de gás ao Brasil a fim de "prejudicar Bolsonaro".

No entanto, o ministro de Hidrocarbonetos e Energias da Bolívia afirmou que o acordo atual prejudicava seu país. Não há registros de que Lula esteve envolvido na decisão.

A Bolívia reduziu o envio de gás para o Brasil em 30% em maio, conforme publicou a Petrobras em nota, no último dia 24.

Conforme divulgado pela imprensa, a empresa boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), responsável pelo fornecimento, passou a vender o recurso para a Argentina por um preço maior.

Postagem faz afirmação falsa de que o ex-presidente Lula teria sido o responsável por pedir o corte do fornecimento de gás da Bolívia ao Brasil para prejudicar Bolsonaro. (Foto: Reprodução)
Postagem faz afirmação falsa de que o ex-presidente Lula teria sido o responsável por pedir o corte do fornecimento de gás da Bolívia ao Brasil para prejudicar Bolsonaro. (Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou a apoiadores que o corte parece orquestrado para prejudicá-lo e "favorecer você sabe quem". A fala também foi publicada em sua conta no Twitter, em 23 de maio.

Usuários também têm afirmado nas redes sociais que a decisão da Bolívia foi solicitada por Lula.

Contudo, após o anúncio da redução no envio, o ministro boliviano de Hidrocarbonetos e Energias Franklin Molina afirmou que o acordo com a Petrobras estaria prejudicando a Bolívia. Segundo ele, foram feitas tentativas de renegociação com a estatal. Não há registro de que Lula solicitou o corte.

Procurada, a assessoria do ex-mandatário disse que essa "é mais uma fake news divulgada pelo Bolsonarismo".

Em uma versão mais completa do vídeo, publicada no Kwai, um comentarista da Jovem Pan afirmou que Lula confessou ter dado uma refinaria à Bolívia. Mas a informação é falsa, conforme já verificado pelo Yahoo! Notícias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos