É falso que Lula prometeu acabar com o Auxílio Brasil se for eleito

Candidato ao Planalto e ex-presidente Lula (PT) segurando uma bandeira do Brasil em um ato de campanha em Guarulhos, em São Paulo, em 7 de outubro de 2022 (AFP via Getty Images / Miguel Schincariol)
Candidato ao Planalto e ex-presidente Lula (PT) segurando uma bandeira do Brasil em um ato de campanha em Guarulhos, em São Paulo, em 7 de outubro de 2022 (AFP via Getty Images / Miguel Schincariol)

Publicações com mais de 78 mil interações no TikTok distorcem falas do candidato ao Planalto e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o Auxílio Brasil. Os vídeos espalham, por exemplo, que o candidato prometeu acabar com o Auxílio Brasil se for eleito, que o programa voltará aos moldes e ao antigo valor do Bolsa Família e que mulheres sem filhos deixarão de ser beneficiadas.

Mas as informações são falsas, o ex-presidente não prometeu acabar com o benefício, nem reduzir o seu valor ou cortá-lo de mulheres sem filhos. Os boatos também foram desmentidos pela assessoria de Lula.

Captura de tela de publicações afirmando que Lula teria supostamente afirmado prometido eliminar ou reduzir o Auxílio Brasil se for eleito (Foto: TikTok / Reprodução)
Captura de tela de publicações afirmando que Lula teria supostamente afirmado prometido eliminar ou reduzir o Auxílio Brasil se for eleito (Foto: TikTok / Reprodução)

Alguns conteúdos utilizam uma reportagem publicada pela revista Veja para afirmar que mulheres sem filhos e homens responsáveis pela criação das crianças perderão o benefício, mas a reportagem não informa isso. Nela é dito que Lula pretende reestabelecer algumas condições para o auxílio, que será preferencialmente feito em nome das mulheres, o que, na verdade, já ocorre.

Na entrevist reproduzida pela Veja, Lula disse que "as crianças vão ter que estar na escola, as crianças vão ter que tomar vacina, a mulher gestante vai ter que fazer o exame". Em nenhum momento o ex-presidente prometeu retirar o Auxílio Brasil de mulheres sem filhos.

Outro conteúdo que tem sido utilizado nas fake news é uma entrevista do ex-presidente ao SBT. Segundo as publicações, ele teria prometido retomar o antigo valor do Bolsa Família, mas em nenhum momento ele afirmou isso. Ao contrário, Lula prometeu retomar o antigo nome do programa, Bolsa Família, mas manter o valor de R$ 600:

"Quando eu disse que nós iríamos continuar e que o Bolsa Família iria voltar com R$ 600, mais 150 por cada criança até seis anos, ele [Jair Bolsonaro] então resolveu dizer que vai continuar. Como ele vai perder as eleições, eu acho que ele não vai precisar continuar nada, nós vamos continuar com o Bolsa Família".

Em nenhum trecho das diretrizes de governo da chapa Lula-Alckmin está previsto acabar com o Auxílio Brasil ou cortar beneficiários.

À reportagem do Yahoo! Notícias, a assessoria de Lula assegurou que "nenhum beneficiado atual irá perder o benefício". Em nota, a assessoria acrescentou que "o valor do benefício será de 600 reais", conforme "o PT defende o benefício [...] desde 2020".

O atual valor do Auxílio Brasil, na verdade, é de R$ 400. Neste ano, ele tem sido pago com um adicional de R$ 200, totalizando R$ 600 mensais. Esse adicional, pago desde agosto, está previsto até o final de 2022. Por isso, o valor do benefício pode voltar a ser de R$ 400 por mês em janeiro de 2023 caso não haja uma mudança na legislação.

Conteúdo semelhante foi verificado pelo Aos Fatos.