É falso que média da porcentagem de votos por região comprova fraude nas eleições

Urna eletrônica é testada em Porto Alegre, em 23 de setembro de 2022. Nas redes, usuários insistem em supostas provas de fraude nas eleições (Foto: Reuters / Diego Vara)
Urna eletrônica é testada em Porto Alegre, em 23 de setembro de 2022. Nas redes, usuários insistem em supostas provas de fraude nas eleições (Foto: Reuters / Diego Vara)

Um vídeo que circula nas redes sociais é utilizado para afirmar que houve fraude nas eleições de 2022. Na gravação, um homem afirma que a média de votos obtida pelo atual presidente Jair Bolsonaro (PL) por região no segundo turno é maior que a do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Saiu alguns dados interessantes aqui no site do g1, que foi a votação de cada candidato em cada região, só que o interessante é que se você somar esses dados aqui, o Lula tá atrás do Bolsonaro", diz o homem no vídeo.

Ao fazer o cálculo, ele conclui que os números divulgados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ou os publicados pelo g1 estariam errados. Contudo, o seu cálculo não é adequado, pois dá o mesmo peso a regiões que têm diferenças no número de eleitores.

Captura de tela de um vídeo que circula nas redes alegando que haveria uma divergência entre o resultado divulgado pelo TSE e a média de votos por região (Foto: TikTok / Reprodução)
Captura de tela de um vídeo que circula nas redes alegando que haveria uma divergência entre o resultado divulgado pelo TSE e a média de votos por região (Foto: TikTok / Reprodução)

No vídeo, o homem detalha o cálculo feito: "Na região Nordeste ele [Bolsonaro] teve 30,66%; na região Norte 51,03%; na Sul 61,84%; na Sudeste 54,26% e no Centro-Oeste 60,21%. Dividindo por cinco que são as regiões do Brasil, dá 51,6%. Vou fazer a do Lula aqui e vocês vão ver que não é mentira". Seguindo a mesma lógica, ele conclui que Lula teria obtido 48,4% dos votos.

A reportagem mencionada, de fato, foi publicada no g1 e os dados por regiões correspondem aos apresentados no texto. Mas a média calculada erra ao desconsiderar as diferenças na quantidade de votos nas diferentes regiões. Isso porque no Brasil, ganha a disputa presidencial o candidato com o maior número de votos válidos.

A quantidade de votos de cada candidato no segundo turno, por região, foi a seguinte:

  • Nordeste: Lula - 69,34% x Bolsonaro - 30,66%

  • Norte: Lula - 48,97% x Bolsonaro - 51,03%

  • Centro-Oeste: Lula - 39,79% x Bolsonaro - 60,21%

  • Sudeste: Lula - 45,74% x Bolsonaro - 54,26%

  • Sul: Lula - 38,16% x Bolsonaro - 61,84%

O resultado divulgado pelo TSE apresentou Lula como o vencedor com 50,9% e cerca de 60 milhões de votos. Já Bolsonaro obteve 49,1% e aproximadamente 58 milhões de votos.

Conteúdo semelhante foi verificado pelo AFP Checamos.