É falso que título de eleitor transfere votos automaticamente para Lula

Uma mulher, segurando seu título de eleitor, confere seu registro eleitoral antes da votação nas eleições gerais de 2018, em São Paulo, em 7 de outubro de 2018(Foto: AFP via Getty Images / Alexandre Schneider)
Uma mulher, segurando seu título de eleitor, confere seu registro eleitoral antes da votação nas eleições gerais de 2018, em São Paulo, em 7 de outubro de 2018(Foto: AFP via Getty Images / Alexandre Schneider)
  • Nas redes, publicações alegam que o novo título de eleitor transfere votos para o candidato e ex-presidente Lula

  • Segundo as publicações, os títulos viriam com um código que direcionaria os votos automaticamente

  • A alegação, no entanto, é falsa: os códigos são gerados automaticamente e não têm conexão com a escolha feita nas urnas

Um áudio e dezenas de publicações nas redes sociais alegam que os novos títulos de eleitor supostamente transfeririam votos para o candidato ao Planalto e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo usuários, os títulos viriam com um QR code "escrito Lula 13" ou "L13". No entanto, as informações são falsas. O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) já explicou à reportagem do Yahoo! Notícias que os códigos são gerados automaticamente e, além disso, eles não têm conexão com o momento da votação.

Captura de tela de uma publicação alegando que código presente no título de eleitor transfere votos automaticamente para o candidato e ex-presidente Lula (Foto: Facebook / Reprodução)
Captura de tela de uma publicação alegando que código presente no título de eleitor transfere votos automaticamente para o candidato e ex-presidente Lula (Foto: Facebook / Reprodução)

Em uma oportunidade anterior, a assessoria de imprensa do TSE explicou ao Yahoo! Notícias que a sequência de letras e números que aparece nos novos títulos eleitorais é gerada de maneira aleatória: "Os códigos do sistema de autenticação, compostos por letras e números aleatórios, são gerados de forma totalmente randômica, sem que haja qualquer ingerência por parte da Justiça Eleitoral".

Tais códigos são utilizados para conferir a autenticidade dos títulos eleitorais emitidos por meio do site do TSE.

O TSE informou ainda ao Yahoo na última quarta-feira (17) que "a autenticação do título por meio do QR Code não é obrigatória, mas está prevista no artigo 71 da Resolução TSE nº 23.659/2021. De acordo com a norma, a validação da via digital do título de eleitor poderá ser realizada nas páginas do TSE e dos TREs na internet, ou pela leitura do QR Code disponível no próprio aplicativo e-Título".

Além disso, o código não é necessário portar o título eleitoral físico e nem o e-título no dia da votação, conforme explica o tribunal em seu site:

"A eleitora ou o eleitor pode votar sem título eleitoral? Sim, poderá votar sem o título, mas deverá apresentar obrigatoriamente documento oficial com foto que comprove sua identidade".

Nesse sentido, não há qualquer relação entre o referido código e a urna eletrônica ou com o momento da votação, o que foi reforçado pelo tribunal em nota à reportagem: "cabe esclarecer que não há nenhuma relação entre o documento (título de eleitor) e o voto que posteriormente será digitado na urna pelo eleitorado. Também não há qualquer possibilidade de interferência na votação em si".

O Yahoo! Notícias já verificou outros conteúdos relacionados ao título eleitoral.

Essa peça desinformativa também foi verificada pelo Boatos.org.

18/08/2022: Acrescentou o posicionamento do TSE enviado à reportagem em 17/08 após a publicação da checagem