EASA estuda revisar regras de segurança aérea após acidente da Germanwings

(Arquivo) Cabine de um Airbus A320

Um grupo de especialistas se reuniu nesta quinta-feira, em Bruxelas, para estudar uma possível revisão das regras de segurança nas cabines dos aviões, após o acidente com uma aeronave da companhia Germanwings que deixou 150 mortos no fim de março, na França, anunciou a Comissão Europeia.

O grupo, formado por especialistas da Agência Europeia para Segurança Aérea (EASA), se reuniu na quinta-feira, em Bruxelas, para "tirar lições" do acidente com o Airbus A320, informou Jakub Adamowicz, porta-voz dos Transportes.

Os trabalhos devem abordar três âmbitos: o sistema de fechamento da porta da cabine do piloto, os procedimentos de entrada e saída da mesma e os critérios de supervisão médica dos pilotos, informou.

O boletim preliminar do Birô francês de Investigação e Análises (BEA), publicado na quarta-feira, demonstrou que "o copiloto derrubou o avião intencionalmente", destacou Adamowicz.

O objetivo dos trabalhos realizados pelos especialistas da EASA é "prevenir que um incidente como este possa voltar a ocorrer", explicou o porta-voz. O grupo fará propostas concretas para melhorar a segurança da aviação civil, se for necessário.

A EASA atua de forma paralela à BEA, cujo relatório definitivo é aguardado para daqui a um ano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos