EasyJet sofre ciberataque que afeta 9 milhões de clientes

Um Airbus A320 da EasyJet estacionado em 12 de maio de 2020 em Genebra

A companhia aérea britânica EasyJet anunciou nesta terça-feira (19) que foi vítima de um ataque cibernético "altamente sofisticado", que afetou os dados pessoais de cerca de 9 milhões de clientes.

Os hackers tiveram acesso aos nomes, endereços de e-mail e detalhes de voos de quase dez milhões de clientes, segundo comunicado da companhia.

Também em um pequeno número de casos (2.208 pessoas) os criminosos acessaram dados de cartões bancários, acrescentou a companhia aérea.

Esse ataque contribui para o duro golpe no setor causado pela pandemia de coronavírus.

A companhia aérea afirmou que já entrou em contato com os bancos e prometeu que todos os clientes afetados serão contatados nos próximos dias, o mais tardar em 26 de maio.

O ataque foi realizado a partir de uma fonte "altamente sofisticada", disse, assegurando ter alertado imediatamente as autoridades britânicas de segurança cibernética e proteção de dados.

Segundo Johan Lundgren, CEO da EasyJet, o ciberataque ocorre em um contexto de crescente preocupação com a proliferação de golpes on-line relacionados à COVID-19.

"Desde que tomamos conhecimento do incidente, ficou claro que, devido à COVID-19, há uma crescente preocupação com o uso de dados pessoais para fraudes on-line", disse ele no comunicado.

Por esse motivo, a empresa pede que seus clientes mantenham-se alertas, principalmente no caso de comunicações incomuns.