Ebanx expande operações para África

Por Carolina Pulice

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A fintech brasileira Ebanx disse nesta terça-feira que se expandiu recentemente para a África, onde tentará replicar seu rápido crescimento na América Latina, dando maior ênfase ao seu setor de pagamentos digitais.

A empresa iniciou operações no Quênia, na África do Sul e na Nigéria no final de agosto, em meio à crescente demanda por pagamentos via telefones celulares nos últimos anos.

"(Esses países) representam mais de 50% do PIB do continente, um terço da população da África e estão vendo uma explosão na adoção de serviços digitais", disse Paula Bellizia, presidente de pagamentos globais da Ebanx, à Reuters.

A Ebanx, que começou a oferecer carteiras digitais para consumidores brasileiros em 2020, inicialmente se concentrará em dinheiro móvel, um sistema que permite aos usuários trocar e armazenar fundos em seus celulares, disse Bellizia.

"Na América Latina, o comércio digital acabou acelerando o pagamento digital. Na África, os pagamentos digitais vão alavancar o comércio digital", disse ela.

"Há uma tendência de comércio eletrônico acontecendo na África da mesma forma que aconteceu na América Latina há oito anos", acrescentou.

A startup avaliada em mais de 1 bilhão de dólares também pretende fechar acordos com grandes lojas de e-commerce para prestar serviços de pagamento no continente. Sem revelar nomes, Bellizia disse que a Ebanx se concentrará em parcerias com comerciantes globais.

Na América Latina processa pagamentos para Airbnb, Shopee e Uber.

"No que diz respeito ao nosso plano de expansão, a África tornou-se nossa nova prioridade. É um continente enorme, com milhões de pessoas se tornando consumidores", disse ela.

Bellizia disse que a Ebanx, que no início deste ano adiou sua oferta pública inicial de ações, continua analisando as "condições de mercado" para dar esse passo.