Ecologistas fracassam em tentativa de bloquear aeroporto de Heathrow com drones

Um jato da British Airways decola, enquanto a maioria dos aviões da BA permanece no solo no aeroporto 5 de Heathrow, no Terminal 5, no oeste de Londres

A polícia de Londres estabeleceu um cordão de isolamento ao redor do aeroporto de Heathrow e fez diversas detenções para impedir que ativistas ecologistas bloqueassem o terminal com drones, na madrugada de sexta-feira.

Chamado de "Heathrow Pausa", o projeto reunia ativistas comprometidos com a luta contra a mudança climático e que afirmam ser independentes. Consideram que esta ação, ilegal, é necessária para que o governo atue rapidamente contra a mudança climática e a urgência ecológica.

Os militantes desejam ressaltar a incompatibilidade da ampliação de Heathrow, o aeroporto mais movimentado da Europa, com os compromissos do governo britânico de alcançar um balanço líquido de emissões de CO2 nulo em 2050.

O plano consistia em iniciar o voo perto do solo, a partir da madrugada, de pequenos drones, com o objetivo de fechar o aeroporto por cinco dias.

Pouco antes das 6H00, dois homens foram detidos perto do aeroporto, anunciou a polícia. Na quinta-feira cinco líderes da organização foram detidos, três homens e duas mulheres, suspeitos de "complô para cometer desordem publica".

os primeiros voos, procedentes da Ásia, pousaram normalmente pouco depois da abertura do aeroporto, às 4H30 locais (0H30 de Brasília).

O aeroporto, pelo qual passaram 80 milhões de passageiros em 2018, pretende construir a partir de 2021 uma terceira pista, que entraria em operação em 2026. A ambição é receber 130 milhões de passageiros por ano.

Para evitar qualquer acidente perigoso, os ativistas se reuniram com funcionários do aeroporto e policiais. Mas as forças de segurança advertiram que não tolerariam um protesto deste tipo.