Economia mexicana salta 12% no 3° tri em recuperação de contração causada por lockdown

·1 minuto de leitura
Novo aeroporto internacional do México, em Zumpango
Novo aeroporto internacional do México, em Zumpango

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A economia do México saltou 12,0% no terceiro trimestre, conforme o esperado, compensando grande parte da contração registrada nos três meses anteriores no auge do lockdown do coronavírus no país, mostraram dados preliminares nesta sexta-feira.

Analistas em uma pesquisa da Reuters esperavam que os dados da agência nacional de estatísticas Inegi mostrassem um crescimento ajustado sazonalmente do Produto Interno Bruto (PIB) de 11,9% em comparação com o segundo trimestre.

No período de abril a junho, no auge do lockdown pandêmico do México, a economia recuou 17,1% em relação ao primeiro trimestre.

Em comparação com o terceiro trimestre do ano passado, a segunda maior economia da América Latina cedeu 8,6% em termos não ajustados no terceiro trimestre, contra da previsão da Reuters de perda de 8,7%.

Uma análise dos números mostra que as atividades primárias, como a agropecuária, a silvicultura e a pesca, avançaram 7,4% em relação ao trimestre anterior. As atividades secundárias, como a manufatura, avançaram 22,0%, informou o Inegi.

Já as atividades terciárias, que englobam gastos de consumo e o setor de serviços, aumentaram 8,6%.

A previsão é de que a economia do México recuará quase 10% este ano, sua contração anual mais profunda desde a Grande Depressão.

Os meses mais severos para a economia mexicana foram abril e maio, quando grande parte da atividade empresarial foi paralisada, levando à perda de cerca de um milhão de empregos formais. Até 19 de outubro, quase um terço desses empregos haviam sido recuperados, disse o governo.