Economia do Reino Unido vê recuperação parcial no 3º tri e enfrenta riscos de recessão

Andy Bruce e William Schomberg
·1 minuto de leitura
Pessoas passam por loja em Manchester, Reino Unido

Por Andy Bruce e William Schomberg

LONDRES (Reuters) - A recuperação econômica do Reino Unido do impacto do coronavírus foi mais rápida do que o imaginado anteriormente no terceiro trimestre, de acordo com dados oficiais, mas novos lockdowns estão ameaçando provocar nova recessão.

O Produto Interno Bruto cresceu um recorde de 16,0% entre julho e setembro sobre os três meses anteriores, em dado divulgado nesta terça-feira revisado para cima de estimativa anterior de 15,5%.

Mas isso ainda não compensou a queda de 18,8% no segundo trimestre, quando a maior parte da economia foi fechada.

A economia britânica foi atingida com mais força pela pandemia do que a maior parte dos outros países conforme entrou em um lockdown mais longo. Apenas a Itália registrou mais mortes na Europa.

Agora Londres e áreas próximas estão de volta sob rigorosas restrições conforme o governo tenta desacelerar a disseminação de uma nova variante do vírus, que se espalha mais facilmente.

A consultoria Capital Economics disse que uma recessão de duplo mergulho é uma possibilidade clara se as novas restrições contra a Covid-19 continuarem em 2021.

A economia quase paralisou em outubro e deve encolher de novo no quarto trimestre enquanto as preocupações com o prazo de 31 de dezembro para um acordo comercial do Brexit com a União Europeia somam-se aos danos causados pela Covid-19.

Os dados desta terça-feira mostraram que a economia estava 8,6% abaixo do nível do final de 2019.

Também mostraram que a renda das famílias cresceu no terceiro trimestre conforme os trabalhadores retornaram das dispensas temporárias. Os gastos dos consumidores subiram quase 20%.